terça-feira, 18 de novembro de 2008

Cantigas Traduzidas

Cantigas traduzidas


As traduções feitas a seguir podem não corresponder exatamente ao que representam em sua origem, pois penso que, ao longo dos tempos, a tradição oral pode ter transformado as palavras em Ioruba devido à sua “mistura” com o português e outras línguas existentes na época do Brasil-colônia.
Este trabalho foi realizado através de informações colhidas na Internet, transcrições de cantigas em Cd e outros recursos. Não é baseado em dados literários. Em suma, esta pequena pretensão pode vir a ficar próximo da verdade para nos ajuda a entender um pouco o que cantamos para os nossos Orixás, bem como suas lendas e gostos.
Percebemos que a linguagem é simples e, muitas vezes, para dar sentido às frases, temos que acrescentar preposições e/ou substantivos, pois estamos trabalhando com uma linguagem oriunda de um povo com pouca cultura que dava vários significados a uma única palavra.
Infelizmente, os detentores dos estudos literários sobre o assunto, não a disponibilizam com facilidade sendo às vezes, vendidas em partes provocando um desgaste financeiro que nem sempre é possível o que dificulta um pouco a divulgação da religião como deveria ser. Talvez por isso encontramos discrepâncias de culto em uma mesma nação por falta de união e troca de informações de maneira mais democrática.
Este meu esforço é em homenagem à minha mãe que sempre se recusou a aprender o Ioruba por entender que o Orixá nos compreende em Português e por isso deveria ter suas cantigas reproduzidas em nosso idioma.
A música é o elo de ligação entre os Orixás e os seus filhos. Como em tudo o mais, o Xiré ou Siré tem também o seu preceito e existe não só uma ordem a respeitar para convocar os Orixás, como existem palavras e saudações específicas que devem ser ditas para que a convocação dos orixás para o Siré seja correta, segundo os preceitos da nação Ketu.

ÈSÙ
Laaróyè Èsù! (Nos dê entendimento sobre a vida, Exu)

Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)
Egba Kose (Tenho fé, amém.)
Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)
E mó dé ko e ko (Nossa casa está limpa. Proteja a nossa terra)
Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)
Lè gbálè èsù loná (Seu poder exu, limpa o caminho)

Egba rà um be be (Minha fé me alimenta, peço, peço)
Tiriri Lona (Tiriri – Valoroso / Lona – no caminho = Exu que no dá coisas no caminho)
Esú Tiriri
Egba rà um be be
Tiriri Lona
Èsù Tiriri
Elegbara (Bis) (Homem da rua)
Èsù Ajo (Exu da jornada)
A ma ma (Nós sempre, sempre)
Ke o Elegbara (Pedimos a ti Elegbara)
Èsù Ajo (Exu da jornada)
A ma ma
Ke o laaròyè (Clamamos que nos dê compreensão)
Èsù Soroke (Exu que fala alto)
O dara o dara (Ele é justo, ele é justo)
Ba bá ebó (Ajude-nos, acompanhe-nos)
Esú O (Ele é Exú)
Esú Olona (dono da estrada)
Mó forí Gbále (Limpe o que é ruim, varra)
Esú O
Gba rá Lò jí ki (Com minha fé lhe cumprimento)
Esú Lò bi wa (Exu venha até nós)
Ara e e (Faça-se presente)
So so Obé (Fala, fala na faca)
Odara kolobi ebó (Ele é justo e ensina-nos a renascer no ebó)
Laaròyé (Dê-nos compreensão)
Àgiri Esú ma na (Exu está presente no nascer da aurora)
Le lè àgiri (Ele tem força e poder na aurora)
Àjé ma na (Seu feitiço está presente)
Le lè àgiri (Força e poder na aurora)
Fí rò ófè na (Seu assobio é o primeiro a ser ouvido)
Fé na jò (Se manifeste)
Àgiri (na aurora)
Orisa pa ta (Orixá que nos acode mas pode nos matar)
Ago nilé (A humanidade em suas casas pedem auxílio)
Ago nilé mó forí gbále (Livre a humanidade do que é ruim, varra)
Gbà-là ló jù gbà-là (Salve-nos, busque a nossa salvação)
Ló jù gbà-là (Busque a nossa salvação)
Ará legbé (Fique por perto)
Ògó Rum Gò (Te louvamos com o tambor para que não se confunda)
Rum gò (O tambor é inconfundível)
Laaròyé (Dê-nos compreensão).

Ba pàdé olà na e (Esta oferenda servida em prato de barro é para que nos ajude e não nos castigue)
Mojúbà ójisè (Salve exu, o mensageiro)
Àwa se àwo (Alimente-se em nossa casa de santo)
Mojúbá ójisè (Salve exu, o mensageiro)

Elégbára Rewá (Elegbara é bonito)
Àwa se àwo (Alimente-se em nossa casa de santo)

A ji ki rè mi èsù (Nós te acordamos para lhe felicitar, meu exu)
Èsù ka bi, ka bí (Exú que nos acompanha desde o nascimento)


Elégbára Èsù (Elegbara exu que mora no caminho)
Osá rere rere (Nós lhe convidamos)
O ké Sá bára èsù (Nós te chamamos, bom amigo)
O Sá rere rere (Nós lhe convidamos)

Elégbára, elégbara èsù ará ye (Exu Elegbara, exu que mora no caminho)
Elégbára, elégbara èsù ará ye (Exu Elegbara, exu que mora no caminho)

O wá lè se ìlàjà ba àwo (Ele vem com seu poder nos ajudar a harmonizar)
Lè só ri am-nó ìlèkùn (Com seu poder tome conta da nossa entrada)

Èsù a jùmò ma ma ké o (Exu, nós sempre lhe chamamos)
O dara (Você é justo)
Laaróyè èsù (Dê-nos compreensão)
A jùmò ma ma ké o o (Nós sempre lhe chamamos)
O dara èsù àwo (Você é justo exu, nós te alimentamos)

O dara. Lò sóro (Ele é justo. Ouça sua voz)
O dara. Lò sóro loná ( Ele é justo. Ouça a sua voz durante a caminhada)

O di se bá lè pón a o o (Retorne para nos encontrar e nos fortalecer)
O dara. Bá lè só bá (Ele é justo. Ele toma conta e seu poder nos fortalece)

Kòna wù rè já rè o (Te agradamos na encruzilhada, levante-se)
Èsù loná (Exu da rua)

Ajé ba lè a ká ra wó (Este sangue de animal que será derramado aqui é para nos ajudar)
Èsù Soroke

Èsù sórò sórò (Exu, venha participar do culto)
Ajé ba lè a ká ra wó (Este sangue de animal que será derramado aqui é para nos ajudar)

Èsù só Soroke (Exu Soroke tome conta)
Elégbára lè ba àwo (Elegbára, seu poder nos ajuda)
Èsù só Soroke (Exu Soroke tome conta)
Èsù só Soroke ki awo (Exu Soroke tome conta. Nós te cumprimentamos)

Elégbára Vodun
Adja ke de ke de (Tocamos o adja bem alto para lhe chamar)

Èsù lè ba o (Exu, buscamos o seu poder)
Odún lè ba o (Está na hora de usar o seu poder)





A dí kí ba rà bò e mojúbà (Nós tornamos a lhe cumprimentar pela ajuda que recebemos)
Àwa kó jé (Nós somos aprendizes)
A dí kí ba rà bò e mojúbà (Nós tornamos a lhe cumprimentar pela ajuda que recebemos)
Òmowé kó ikó (Senhor, seja paciente em nos ensinar para que nos tornemos bons
Elégbára èsù loná trabalhadores)

Kó ké kó ké o ba rà (Cantamos alto, cantamos alto para que venha nos ajudar com os
trabalhos)
O ba rà ba ba ebo (Venha em nosso auxílio, venha, venha para o ebó)

Iná iná e mojúbà e (O fogo das velas é para te saudar)
E mojúbà (Nós te saudamos)
Ibó mojúbà (No seu altar te saudamos)

E ma wù lè ba na (Você sempre foi agradado primeiro que os outros)
Kórin ti a (Nós cantamos suas cantigas)
E ma wù lè ba na (Você sempre foi agradado primeiro que os outros)
E ma je kí (Nós sempre te alimentamos e cumprimentamos)
Kórin ti a (Nós cantamos suas cantigas)

O loná wa ba rà ketu (Vós que estais no caminho, venha para o Ketu)
O loná wa ba rà ketu (Vós que estais no caminho, venha para o Ketu)

Ketu ketu e (Vós que estais no Ketu, ketu)
Èsù alaketu (Exu, este é o reino de Ketu)

Yemonjá ka ká rè bo (Yemonjá recolhe e alimenta a todos em seu reino)
Èsù ayà abo (Exu também encontra amparo)
Yemonjá ka ká rè bo (Yemonjá recolhe e alimenta a todos em seu reino)
Èsù ayà abo (Exu também encontra amparo)


ÒGÚN
Pà ta ko ri Ògún (Ogun guerreiro toma conta de suas terras)
Ògún Je si je si (Ògún, nos sustente)

Ògún a jo e Mariwo (Ògún se manifeste com o seu mariwo)
Akóró a jo e Mariwo (Akóró, se manifeste com o seu mariwo)
(Akóró – qualidade de um Ogun)
Ògún pà lè pà lona (Ògún mata, tem poder de matar no caminho)
Ògún a jo e Mariwo
E ma tù Ye ye (Vós sempre anima a nossa vida) (animar = reviver)

Àwa sí Iré Ògún o (Abra a nossa gira Ògún de Ire) (Ire = Cidade da Nigéria)
E oun jo jo (Dance conosco)
Awa sí Iré Ògún (Abra a nossa gira Ògún de Irè) (Ire = Cidade da Nigéria)
E oun jo jo e oun je je (Dance conosco, coma conosco)

Ògún ní ta ewe rè (Ògún no fim da tarde quer seu feijão)
Ògún ní ta ewe rè (Ògún no fim da tarde quer seu feijão)
A Òsóòsì ko rí a lódè (Oxossi colhe pra ele, na chuva, lá fora)
Ògún ní ta ewe rè (Ògún no fim da tarde quer seu feijão)
O ni ko tó ile ògún (Ògún é guardião da nossa terra, nossa casa de santo)

Akóró umbo bò silé (Akóró estamos lhe esperando)
A Ògún Meje Iré (Ogun das 7 aldeias de Irè)
Ire Meje Meje

Katakata òbí meje (aqui e lá ele está em 7 lugares)
Òbí meje àna gbod-ó (ele está em 7 lugares tomando conta de todos)
Katakata òbí meje (aqui e lá ele está em 7 lugares)
Òbí meje àna gbod-ó (ele está em 7 lugares tomando conta de todos)
E pà mi Ògún, Ògún pà meje (Ogun mata 7 vezes sem pestanejar, Ogun mata 7 vezes)
E meje mi òsè (Ele faz tudo em 7 dias)

E pé lè já pé lè já (Seu poder nos protege nas lutas)
Ògún Onirè

E Aáké lódè koró oun bè lè (Pedimos que use as suas armas para vencer nossas lutas)
Akóró o Ògún já koró oun bè lè (Ogun Akoro pedimos que nos dê forças e nos ajude a vencer nossas lutas)

Ògún onirè o a koro Onire re gbé de (Ogun Onire pedimos que traga suas dádivas para este lugar e para nós)
Aáké Ogun Onire ore gbé de (Ogun Onire, seu machado atrai forças para nós)

Ògún se kó re nde se kó re (Ogun, corte e nos ensine a cortar, atrair e cortar, nos ensine a cortar)
Ògún se kó re nde se kó re (Ogun, corte e nos ensine a cortar, atrair e cortar, nos ensine a cortar)

E pá ní òbe Ògún pá ní obé (Sua faca mata, Ogun, sua faca mata)
E pá ní òbe Ògún pá ní obé (Sua faca mata, Ogun, sua faca mata)

O ni ko tó (Ele é dono da terra)
O ni ko tó nile Ògún (Ele é o dono da terra e protege a nossa casa)
O ni awa ba já (Ele é um guerreiro)
O ni ko to to ba òbe (Ele é dono da terra e o dono da faca)

Ògún ni kó to wà layè (Ògún é o dono da terra)
Mariwo uá e (Venha com seu Mariwo)
Ògún ni kó to wà layè (Ògún é o dono da terra)

A wá Akóró e lè a rùn (Venha nos ajudar Ogun Guerreiro, com seu poder)
A wá Akóró e lè dun wò (Venha nos ajudar e nos proteger Ogun Guerreiro)
Ae, ae, ae, a wá Akóró e lè dun wò (Venha nos ajudar e nos proteger, Ogun Guerreiro)

Ìjà kwe ìjà kwe ìjà (Batalhe na nossa casa, batalhe na nossa casa, batalhe)
A wá Akóró mi rè (Ogun, venha até nós)

Wá Ogun Meje ilé (Venha à nossa casa de santo Ogun Meje)
Alagba Meje Meje (Senhor Meje, Meje)

E mariwo aso (A roupa dele é de Mariwo)
E mariwo aso (A roupa dele é de Mariwo)

Ògún àgò fi rí rí (Ògun nos dê licença)
Ága dé lò wa de a o (Pedimos que saia de seu reino e venha nos encontrar para que possamos vê-lo)
Ògún àgò fi rí rí (Ògun nos dê licença)

Koró ba ga dá (Lá do alto ele nos ajuda)
Koró ba ga dá (Lá do alto ele nos ajuda)
Ògún ba ga dá e (Lá do alto Ogun nos ajuda)
Ògún ba ga dá (Lá do alto Ogun ajuda)

Ke kí kí àwa Akóró (Nós cantamos para salvar Ogun)
Ke kí kí àwa Akóró (Nós cantamos para salvar Ogun)
....

OMOLU
Wá to to a jú gbé rò! (Ele é o médico que vem nos acudir)

Dagò lu nà ke wa Saworo (Dê-nos licença para tocar o Saworo para que nos acuda)
Dagò lelé (Pedimos licença humildemente)
Dagò lu nà ke wa Saworo (Dê-nos licença para tocar o Saworo para que nos acuda)
Dagò lelé (Pedimos licença humildemente)
Omolu a fá rà we we (Omolu, abençoe as nossas cabeças raspadas e nos livre das doenças)
Fá rà fá rà fá ro (Cobre nossas cabeças raspadas e abençoadas por vós)
Ji ja Pepe (Venha abençoar nossa altar com sua presença)
E lò obi wa re ((Venha cortar o Obi que proteje a nossa existência)
Tori bóri (Por isso fizemos o bori)
Ji já Pepe

Ori Je nà Pà ba (Aquele que dá vida e saúde às nossas cabeças também pode nos castigar com a morte)
O sí e to bò wa lè (Nós te adoramos até a hora da morte pois vós nos acompanha até depois dela)
Ori Je nà Pà ba (Aquele que dá vida e saúde às nossas cabeças também pode nos castigar com a morte)
O sí e to bò wa lè (Nós te adoramos até a hora da morte pois vós nos acompanha até depois dela)

E ké rè nù bé ké rè (Clamamos a vós que nos purifica, clamamos por vós)
E ké rè nù bé ké rè (Clamamos a vós que nos purifica, clamamos por vós)

E àgò Òmolu já e e lè ní wa bèrè ko (Omolu nos de licença para invocarmos sua força que vem da terra, de onde viemos e para onde iremos)
E lè ní wa Omolu já e lè ní wa bè rè ko (Omolu, vosso poder vem da terra. Dela viemos e para ela voltaremos)

Lá o pè rè ní sò dá (Temos em nós a gratidão por ti que nos criastes. Nos purifique)
Èjó e sò èjó (Descarregue-nos e nos livre das doenças)

E ba aìsan ní mora e (Esteja junto de nós e nos ajude quando estivermos doentes)
Já ba to là ba rè awa (Esperamos por sua ajuda nesta nossa luta)

Omolu bé wa rà e Omolu bé wa rà o (Omolu, pedimos que venha nos ajudar nesse início de caminhada)
Omolu bé wa rà e Omolu bé wa rà o bò bò (Omolu, pedimos que venha nos ajudar nesse início de caminhada. Salve-nos, salve-nos)

E ága ké ba ìwà ága ke ba ìwà (Do seu trono respeitoso e humilde ouve nossos lamentos e nos ajude)
E ko lè ko lè saworo (Seu poder é a terra e o saworo a nossa humildade e respeito para convosco)

Já bè lè ké ajo o fàiyakò (O seu abraço e sua força nos ajuda e nos protege em nossa jornada)
Àwa ní ko ajo (Na nossa jornada pela Terra)

A dí dà bò loná bè wa asa o orò (Nós o adoramos no tempo e pedimos de novo que venha, como sempre, ao nosso oro)
Àgò ile ìlera bo loná (Nós pedimos licença para louvá-lo dentro da nossa casa para que nos socorra)
Bè wa asa o orò (Pedimos que venha ao nosso oro)




O a jerí loná (Venha com seu capuz de palha ajudar-nos em nosso culto
Lódè ba yò a como médico, para que possamos viver felizes)
Ódo bàbá
A we ba bè ba yò áwa dokítà

Onílè wà (O Senhor da terra está entre nós que cultuamos Orixá. Agradecemos
Lèsé Òrisá felizes pelo Senhor da terra estar entre nós que cultuamos Orixá.
Opé ire Agradecemos felizes. Em sua pequena cabaça traz remédios para livrar-
Onilè wà nos das doenças).
Lèsé Òrisá
Onilè wà
Kòlòbó

E kolòbó e kolòbó simi, simi, simi, simi (Nós respeitamos a terra que serve para o descanso, descanso, descanso, descanso)
E kolòbó e kolòbó simi, simi, simi, simi (Nós respeitamos a terra que serve para o descanso, descanso, descanso, descanso)
Kolòbó (Adoramos a terra e a usamos com respeito)

Omolu aráiye ba jeun ba ekó (Omolu, ajude a humanidade (filhos de santo) que se alimentam com ekó)
Òní e Omolu ba jeun ba ekó (Omolu, ajude a quem (filhos de santo) se alimenta com ekó)

Aloré be we gbérè mí daiyàfò (Omolu que cobre a cabeça por causa de sua
Hù je Omolu tà bòwále bòwále bòwále intensa luz, pedimos ajuda para que nos
Mí ba ila wo sustente nessa vida. Nos curvamos em respeito
O je kia wéré a vós e pedimos que venha até nós
receber as oferendas que lhe dedicamos).

Omolu pè olóre a wù rè a kú abò (Omolu, seja bem vindo! Nosso benfeitor! O chamamos para agradá-lo!) Ja npènpè e lò gbé wà layè_(O chamamos para que use suas folhas medicinais para nos socorrer nesta vida)
Tó ní gbón mì o (Para o senhor, tocamos o adja o tempo que for preciso)
Ja npènpè_Omolú wà layè (Omolu, o chamamos para que use suas folhas medicinais para nos socorrer nesta vida)
Tó ní gbón mì o (Para o senhor, tocamos o adja o tempo que for preciso)

Kóró nló áwo, kóró nló áwo se o gbé je (estamos indo ao culto, estamos indo ao culto para receber sua ajuda)Kóró nló áwo, kóró nló áwo se o gbé je (estamos indo ao culto, estamos indo ao culto para receber sua ajuda) O àtà lábé o ko rí (Ele fica embaixo da cumieira, na terra, que é de onde ele nos assiste)
O kilò fun àtà lábé o ko ri (De lá ele nos avisa dos perigos, embaixo da cumieira, na terra, que é de onde ele nos assiste)
Abe mi lorí bè ri onilé oluayè (Dono da terra, Senhor do mundo que está acima de nós)
O àtà lábé o ko rí (Ele fica embaixo da cumieira, na terra, que é de onde ele nos assiste)
Lo ní aló ìyìn gè ni a (Hoje, nossas mãos estão postas em seu louvor)
Aja kunlowo ìyìn gè ni a (O Adja nos ajuda a louvá-lo)
O àtà lábé o ko rí (Ele fica embaixo da cumieira, na terra, que é de onde ele nos assiste)

Ajunsun, aráiye lorí Ìyìn gè ni a (Ajunsun, vós que estais acima de nós. Te louvamos e reconhecemos seu valor)
Ewá kalo (Sua luz nos guia)
Sakpata, ewá kalo (Sakpata, sua luz nos guia)
Ìyìn gè ni a (Nós reconhecemos seu valor e o louvamos)
A ìyìn gè ni a ágo ìyìn gè ni a (A humanidade o elogia e o louva. Nós o louvamos e o elogiamos)
A kalo a Ìyìn gè ni a (Nós reconhecemos seu valor e o louvamos. Caminhamos com sua luz)

Ago nile ní lè ma dagò (A humanidade lhe pede licença pelo seu poder)
Sakpata, Ajunsun ma dagò (Sempre pedimos licença para Sakpata e Ajunsun)
Ago ní lè ma dagò (A humanidade lhe pede licença pelo seu poder)

Gbé lè iko o àtà lábé o ko rí (Pelo seu poder, colocamos a decisa em baixo da cumieira, na terra, para receber sua ajuda)
Gbé lè iko o àtà lábé o ko rí (Pelo seu poder, colocamos a decisa em baixo da cumieira, na terra, para receber sua ajuda)
We lè iko sa là sa là re o ní (Sua cabeça é coberta com palha para ofuscar a sua luz e seus mistérios por isso ela não pode ser aberta)
We lè iko sa là sa là re o ní (Sua cabeça é coberta com palha para ofuscar a sua luz por isso ela não pode ser aberta)
O ìyìn gè ni a pàdé o ló ri pà (Nós o louvamos e bendizemos juntos para que afaste de nós a morte)
O ìyìn gè ni a pàdé o yò ló ri pà (Nós o louvamos e bendizemos juntos com nossa alegria, para que afaste de nós a morte)

Opè ma díjo père ké se (Sempre cantamos alto e juntos somente para agradecer)
Ma díjo hàn ma díjo pè (Sempre juntos nos manifestamos, sempre juntos o chamamos)
Opè ma díjo père ké se (Sempre cantamos alto e juntos somente para agradecer
Ma díjo hàn ma díjo pè (Sempre juntos nos manifestamos, sempre juntos o chamamos)
Do hàn a do hàn a yèpè (Juntos nos manifestamos para vós, juntos nos manifestamos para vós, na terra)

Bè lè iko sa láré o kórin (Cantamos para que sua poderosa luz que sua palha esconde, nos ajude)
Bè lè iko sa láré o kórin (Cantamos para que sua poderosa luz que sua palha esconde, nos ajude)





Omolu ki bè hù já (Omolu, o cumprimentamos e pedimos uma boa colheita)
O lò gbo sè a jeum bó (Nós cozinhamos e nos alimentamos com fé em ti)
O lò gbo sè a jeum bó (Nós cozinhamos e nos alimentamos com fé em ti)
O lò gbo sè a jeum bó ro e (Nós cozinhamos e nos alimentamos com fé em ti que nos tranquiliza)

O ìyìn gè ni a Baba sí e bò ale (Nós o louvamos e o glorificamos Pai das doenças contagiosas. Nós o adoramos e o recebemos).
O ìyìn gè ni a Baba sí e bò ale (Nós o louvamos e o glorificamos Pai das doenças contagiosas. Nós o adoramos e o recebemos).

Umbó àlejò (As visitas estão chegando)
E jò àlejò (Eles dançam para vós)
E jò àlejò (Eles dançam para vós)
Áfaradà lè jé hù lelé (Esperando resignados que o seu poder que está embaixo da cumieira possa beneficia-los)

Omolú to lè kè eran ènia (Omolu, clamamos para que seu poder atue em nossos corpos)
E rò e rò ékun (estamos de joelhos para que nos cure)

O ni e mò ri ba mejá ké (Clamamos por vós para que venha nos ajudar com sua luz brilhante)
Olodè ayè mò ri ba mejá ké ké (Senhor que está onde o céu alcança (do lado de fora), clamamos que venha nos ajudar com sua luz brilhante)
Obalúwàiyé mò ri ba mejá (Obaluae venha nos ajudar com sua luz brilhante)
Ké ké olodè ayè (Clamamos, clamamos Senhor que está onde o céu alcança (do lado de fora)

Akan ki fá bó a (Cumprimentamos e adoramos vossa luz que chega até nós pouco a pouco)
Akan ki fá bó a o (Cumprimentamos e adoramos vossa luz que chega até nós pouco a pouco)

Ki nibí fá rò fá rò ti (Louvamos neste lugar, o médico que, resignado, sempre nos atendeu)
Ki ní bi fá rò áfaradà (Louvamos o médico que sempre nos atende com resignação)
O ki ní pokó (O que tem no seu copo feito de casca de coco)
O ní e (Dá para todos)
Ki nibí wa áfaradà (Sua resignação é digna de louvor nesta casa)

Omolú to lè kúnlè rò e lò lò ékun (Omolu, aguardamos de joelhos o seu poder para sermos abençoados por vós)
Omolú to lè kúnlè rò e lò lò ékun (Omolu, aguardamos de joelhos o seu poder para sermos abençoados por vós)
Omolú to lè kúnlè rò e lò lò ékun (Omolu, aguardamos de joelhos o seu poder para sermos abençoados por vós)

Ni a lò ìyìn gè ni a (è para vós os nossos louvores)
Aja ko to lò ìyìn gè ni a oluayè (Tocamos o adja o tempo que for necessário para louvar e glorificar o “dono do mundo”)
O ata lábé o ko rí (Glorificamos sua força e colocamos a decisa embaixo da cumieira em sua homenagem para que venha nos ajudar)
Béèni ko rí bè rí o ni je oluayè (Molhamos a terra para ver brotar o nosso alimento que vem com as bênçãos do “dono do mundo”)
O àtè lábé o ko rí (Colocamos a decisa embaixo da cumieira em sua homenagem e para que venha nos ajudar)

Hù lò hù lò (Usamos os frutos que a terra dá. Usamos os frutos que a terra dá.)
Onilé bè lè bè ko o (Dono da terra pedimos que sua força mantenha a nossa terra sempre fértil)

ÒSUNMARÈ
Arò bó bò Yí! (Neste dia que nasce lhe rendemos graças!)

Òsunmarè lelé mo rí Òsunmarè
Lelé mo rí rà ba ta (Oxumarê encontra-se andando no chão. É preciso saber encontrar Oxumare)
Lelé mo rí Òsunmaré (andando sobre o chão é preciso saber encontrar por que ela se esconde. Tenha cuidado por onde anda para não chuta-la (ou pisá-la)).

Ódí náà léwà (Ela é teimosa, mas também é bela).
Léwà léwà e (ela é bela, bela).
Ódí náà léwà (Ela é teimosa, mas também é bela)
Léwà léwà e (ela é bela, bela)

O bi òjò birí bò (Ele surge através de pequenas gotas de chuva)
O mió aráiye (Água doce que sustenta a humanidade)

Jô ma ndi o pe (Ele sempre vem quando o chamamos)
Jô ma ndi o pe (Ele sempre vem quando o chamamos)

E sìn a bebe ko e dìde (Nós adoramos sua dança e seu ato de ir ao chão e depois se levantar)
E sìn a bebe ko e dìde (Nós adoramos sua dança e seu ato de ir ao chão e depois se levantar)

O dí ma dí ma (Ele sempre foi, sempre foi)
Òsunmarè aidan (Oxumare sempre foi belo)

Ma sán rí ma sa ibó (O céu é um lugar de adoração)
E e e o fi-ko fi opè (Devemos olhá-lo com respeito e dar graças)
Arò bó bò yí! U nké lè sìn (Aróbò bò yi louvamos e cultuamos sua força)
A ni wère lókan (Vós sois um jovem bravo!)

Àwa e kó oribande (traga para nós a boa sorte)
E hàn oribande (A sua presença nos traz a boa sorte)

Àwa bí a ma gbo ji bè (A cada dia que despertamos damos graças para que, assim como o dia que nasce, tenhamos também nossas vidas renovadas).
E ba kú èwe lè (a cada dia que nasce, nossas vidas possam ser renovadas com a sua força)

Arò bó bò yí!
A bo mojúbà a wù rí ko kun (Nós o adoramos! Mojubá! Nós o reverendamos quando vemos o arco-íris)
A ro lè (Nele encontramos sua força)

A lè a lè a pà ra dà (Seu poder e sua força o permite ficar invisível)
A lè a lè apà ra o (Ele pode estar caminhando ao nosso lado sem que possamos vê-lo)

Wù lè ké wá o jó rí o (Cantamos para louvar sua força e agrada-lo. Venha dançar para que possamos vê-lo)
Wé wé ké (Rola, rola e dança)
Wá o jó rí o (Vem dançar para que possamos vê-lo)

Ké ké dá lè mi ìran lê wá (Cantamos, cantamos para que traga sua força até nós que somos sua família)
Ké ké dá lè mi ìran lê wá (Cantamos, cantamos para que traga sua força até nós que somos sua família)

Òsunmaré lè lê ma rì (Òsunmaré é poderoso)
Lè lê ma húwà ara ká (Ele pode enrolar o corpo com seu poder)
Lè lê ma rè Òsunmaré (Você é poderoso Òsunmaré)
Ko bé jijó (pedimos que dance indo até o chão)
Òsunmaré ko bé jijó (Òsunmaré, pedimos que dance indo até o chão)
Ara ká ko bé jijó (Pedimos que dance em torno de si mesma indo até o chão)

Lesse Orisà (Somos filhos de Orixá)
Lesse ko ma fò (Os filhos de Orixá mantém o chão sempre lavado)
Sá ro ho (Para que você possa dançar no chão e não se ferir)
Lesse Orisà (Somos filhos de Orixá)
Lesse ko ma fò (Os filhos de Orixá mantém o chão sempre lavado)
Sá ro ho (Para que você possa dançar no chão e não se ferir)

Òsunmaré ló ké rè Òsunmaré (Òsunmaré, cantamos para sua despedida
O ló ké rè (Cantamos para ele se despedir)

Òsunmaré se umbó (Òsunmaré está presente)
Se umbó (Está presente)
O se umbó (Ele está presente)

Wá là koró léhìn ni (Ele está escondido, venha para este lugar)
Wá là koró léhìn ni (Ele está escondido, venha para este lugar)

Òsunmaré ní fe run dá dán (Òsunmaré é uma luz brilhante que gostamos de ter)
Ní fé run dá dán (É uma luz brilhante que gostamos de ter)

O ba hàn si o kun (Mostre seu arco-íris e venha nos ajudar)
Àlejò, Àlejò (Venha nos visitar, venha nos visitar)
O ba hàn si o kun (Mostre seu arco-íris e venha nos ajudar)
Ba hàn, ba hàn si o kun (Mostre seu arco-íris e venha nos ajudar)
Suré, e suré (Nos abençoe, nos abençoe)
Ba hàn, ba hàn si o kun (Mostre seu arco-íris e venha nos ajudar)

Arò bó bò yí! Aké lè sí (Arò bó bò yí! Ele tem um machado para nos proteger)
O hun jé lè iko kun (Sua palha da costa é colorida (as cores representam seu poder)
U Vodun nos adó dé (Ele é Orixá e nos abençoa com adó (comida feita com pipoca e azeite doce)
Arò bó bò yí! Aké lè sí e u jé lè Vodun jé (Arò bó bò yí! Ele tem um machado para nos proteger e nos curvamos ao poder que tem esse Orixá)

E ara ká ló bó ro (Vosso corpo vai se enrolando até o chão)
Àwa dé wò (Nos curvamos para que nos abençoe)
Òsunmarè àwa dé wó (Osunmarè enrola o corpo e vai até o chão)
Vodun àwa dé wò (Curvamo-nos a este Orixá para que nos abençoe)
Òsunmarè o (Ele é Òsunmarè)

A ma rà ka lódódun (Uma vez ao ano nos curvamos)
Àtà te lówó (Na cumieira pedindo fartura para o ano todo)
Òsunmarè o (Para Òsunmarè)
A ma rà ka lódódun (Uma vez ao ano nos curvamos)
Àtà te lówó (Na cumieira pedindo fartura para o ano todo)
Òsunmarè o (Para Òsunmarè)

Òòni se wá (Orixá Rei da nação Yorubá venha nos ajudar)
Òòni se wá (Orixá Rei da nação Yorubá venha nos ajudar)
O dá bo (O Senhor nos orienta e nos ajuda)
Ajelé lù wè (Governador, venha nos consagrar)
Òrisà ta bè lò (Pedimos que nos ilumine)
Vodun tata un dé (Orixá chefe, cubra-nos)

E dan, dan, dan (Ele é uma serpente, serpente, serpente)
Jó árin da ji dan (Ele é uma serpente criada e dança e torno do asè)



ÒSÁNYIN

Pèrègún a lá we titun o (As folhas frescas do Peregun devem ser manuseadas com respeito)Pèrègún a lá we titun o (As folhas frescas do Peregun devem ser manuseadas com respeito)Gbogbo pèrègún a lá we lessé (Os filhos de santo respeitam as folhas frescas do peregun) À àjá lé o pèrègún lá to ni o (Tocamos o adja em homenagem ao peregun que tem um grande poder)Ewè pèrègún lá to ni o (as folhas do Peregun tem um grande poder)A n’sé irúnmolè a ewè àjè bi imolè (Das folhas do peregun nasceu uma mulher encantada que dá, a essa folha, todo o poder da natureza) A ewè kí a jé (Nós saudamos suas folhas)A wá ku rò yá wá lorí òkun Ela leva os espíritos da escuridão para outro lugar além do mar)Pèrègún lá to ni o (O Peregun tem um grande poder)
Abebe ni bó wá (Venha com seu grande leque)
Abebe ni bó (Com seu grande leque)
E abebe (Seu leque)
Abebe ni bó wá (Venha com seu grande leque)
Abebe ni bó (Com seu grande leque)

Àtá koró ojú ewè (Veja que a cumieira está com as suas folhas)
Àtá koró ojú ododún (Veja que uma vez por ano colocamos suas folhas na cumieira)
Àtá koró ojú ewè (Veja que a cumieira está com as suas folhas)
A lelé koró ojú ododún (Veja que anualmente cobrimos o chão com suas folhas)

Àwa orò sìn ma (Nosso culto sempre homenageia)
Ódó ro dun (A presença agradável e doce desse jovem)
Òpeèré Òsányin èhin si búkun rù ide ará ká (O pássaro de prata de Ossanhe voa de costas e ela o traz na cabeça. Bendizemos esse espírito que abençoa a colheita de frutas)

Sawo òpeèré (Veja! O pássaro!)
Òpeèré ni o pé were (Encontramos o pássaro e o anão)
Sawo òpeèré (Veja! O pássaro!)
Opé ni o pé sàn gò (à sua presença devemos demonstrar gratidão)

Mò njá ewè pé mò só (Para pegar as folhas temos que encontrar quem toma conta delas)
Mò njá ewè pé mò só rò (Para pegar as folhas temos que encontrar e acalmar quem toma conta delas)
E pín ló pé mi (Usamos as folhas que encontramos para remédio)
E pín ló Yia mi (Nossa mãe quem nos ensinou a usar)

8 comentários:

danielaloira15 disse...

QUANTA CARA DE PAU MINHA SENHORA,QUE PALHAÇADA É ESSA SUA ?????SINCERAMENTE ,SE VC TEM BOAS INTENÇOES EM TRADUZIR CANTIGAS DE ORIGEM IORUBANA, PROCURE PRIMEIRO ESTUDA-LAS ,ESCREVE-LAS CORRETAMENTE PELO MENOS....DE BOA VONTADE E BOA INTENÇÃO O INFERNO TA CHEIO...

W. e H. disse...

ola eu li todo o conteudo de seu blog
nao sei se vc ainda o acessa
mas perto do perfeito e do mais correto, tenha certesa que vc nao deixa e nao esta deixando nada a desejar, pelo contrario em particular gostei. e alias se vc me permite estou usando como fonte de busca de algumas coisas que ainda nao possuo. grato pelo trabalho dersempenhado
dofono d´oxosse willian

eliesersilva disse...

Cara de pau tem você danielaloira15! Yurubá se escreve assim. Portanto as escrita está correta. Procure se informar, pesquisar antes de fazer comentários a respeito.

Paula Lima disse...

Perfeito!!!Adorei
Vc bem que poderia colocar alguma coisa de borí....Por favor.

Orugam disse...

Você assassinou a LÍNGUA DE SANTO, O "CANDOMBLÊS" ,SEM FALAR NO YORUBÁ. LAMENTO MAS SUA INTENSÃO PODE TER SIDO BOA MAS..."DE BOA INTENSÃO O INFERNO ESTÁ CHEIO"!!!!!!

Maria Rosa Cigana disse...

Para danielaloira15
Eyin ni ndi akuko!
Se situa que vc pensa que é para vir criticando, jpa que sabe tanto poste tudo corretamente como pensa que é...ahhh uma boa pedra e 5 kgs de fradinha pra vc ralar tá!

Kappah disse...

Pelo amor de Dada Segbo, é um assassinato da língua Yorùbá.
Mas parabéns pela iniciativa e audácia

Atori disse...

Não sei nada de iorubá, porém, sou fluente em outras línguas. Nos candomblés vejo muita gente cantando um monte de cantigas mas cada um a seu modo. Basta ouvir os cds de cantigas ou ir aos Ile Axés, o desencontro é gigantesco. Mostrei a um grupo de nigerianos os tais cds, após ouvirem, me disseram que "isso não é iorubá. Portanto, deixem a pose de lado, pois IORUBÁ é um idioma que talvez um ou outro conheça aqui no Brasil.