sexta-feira, 1 de maio de 2009

TIPTOLOGIA E LEVITAÇÃO
TRABALHOS DE TIPTOLOGIA
1. CARACTERÍSTICAS
As comunicações mediúnicas pelo processo de tiptologia, ou seja, através das mesas girantes falantes ou dançantes), são caracterizadas por uma mesa que pode se mover em várias direções ou levantar-se, obedecendo ao comando mental e à vontade dos desencarnados.
Os seus movimentos serão tão certos e positivos quanto o sejam também a qualidade e a natureza
da massa ectoplasmática que for arregimentada pela afinidade entre os presentes.

O grau de sensibilidade da mesa girante é proporcional ao potencial de força nervosa e de magnetismo conjugados, retirados dos presentes, o que lhe facilita libertar-se da força gravitacional do mundo físico, de conformidade com o volume e a natureza do ectoplasma que for extraído do ambiente.
As comunicações pela tiptologia são mais favoráveis quando entre seus componentes se encontre algum médium de fenômenos físicos.
Ele então auxilia o trabalho fornecendo os fluídos necessários para interpenetrarem os interstícios dos átomos etéricos do duplo etérico da mesinha, que se ajustam em perfeita conexão com os átomos e sistemas eletrônicos da sua estrutura material.
Na falta de um médium adequado a esse gênero de trabalho, o seu maior sucesso e exatidão ficará dependendo da melhor harmonia dos fluídos de todas as pessoas participantes do trabalho.
É a sintonia fluídica na mesma faixa vibratória que neutraliza a força gravitacional para os desencarnados operarem livremente a mesa, nos trabalhos de tiptologia.
Só depois de decorrido o tempo necessário para a adaptação preliminar entre todos os componentes do trabalho, é que efetua o intercâmbio satisfatório e compreensível com os desencarnados, por meio das batidas convencionadas em alfabeto, através dos toques da mesinha em movimento.
2. INFLUÊNCIA “ANIMICA” NOS TRABALHOS DE TIPTOLOGIA.
O sucesso técnico da tiptologia depende mais propriamente da quantidade e da qualidade do amálgama de fluídos que se puder combinar entre os presentes.
A qualidade dos fluidos depende do nível intelectual do trabalho, que principalmente em seu início, fica adstrito à média da mentalidade de todos os seus componentes, pois suas idéias influem consciente ou inconscientemente na manifestação tiptológica.
Essa fusão mental impede a ação absolutamente independente dos espíritos desencarnados que operam do Além, pois a coerência e fidelidade no trabalho só é possível depois de certo tempo de intercâmbio mediúnico e maior afinidade entre todos os assistentes.
O fracasso, a confusão e a incoerência de muitos trabalhos tiptológicos são resultantes da precipitação dos seus próprios componentes que, já de início, exigem provas indiscutíveis da imortalidade e a identificação minuciosa dos espíritos comunicantes.
Eles ignoram que, na fase preliminar dessas experiências mediúnicas ainda predomina fortemente a interferência anímica dos que participam e assistem aos trabalhos.
3. A MESA PODE MOVER-SE PELA AÇÃO MENTAL DOS ENCARNADOS
As vezes a mesa se move pela ação “psico-magnética” dos próprios assistentes, desobedecendo ao comando dos espíritos desencarnados que, por atuarem em faixa vibratória mais sutil, ficam sem poder interferir.
Todas as vezes que o trabalho de tiptologia ficar restrito a àrea mental dos encarnados, não será possível obter conclusões objetivas às perguntas formuladas.
Alguns dos participantes, cuja mente e vontade são muito desenvolvidas, podem no início do intercâmbio tiptológico, interferir ou truncar a resposta dos espíritos operantes, impondo as suas próprias conclusões e mesmo certas emersões do subconsciente, configurando uma espécie de interferência anímica nas respostas advindas da mesa.
Desse modo, os assuntos tratados através de convenções tiptológicas cingem-se à média do nível de entendimento comum daqueles que se reúnen, e essa “barreira ou cortina-psíquica”, impede que os espíritos manifestem suas idéias.
Em consequência, os resultados e as conclusões espirituais pela tiptologia decepcionam, porque a comunicação dos espíritos, é vacilante, confusa.
É preciso muito treino, contato mediúnico e paciência, para que o trabalho de tiptologia compense integralmente.
4. O TEMPERAMENTO DO ESPÍRITO COMUNICANTE ATRAVÉS DOS
MOVIMENTOS DAS MESAS GIRANTES
Desde que os participantes dos trabalhos de tiptologia se interessem realmente pelo progresso moral e pela sua ascensão espiritual, o intercâmbio mediúnico então se disciplina e alcança um ritmo produtivo e sério, com a singularidade da mesinha poder revelar até mesmo o temperamento dos próprios espíritos comunicantes.
Isso só é possível por que a mesa tiptológica passa a ser no plano físico o prolongamento móvel e material do espírito comunicante, pois é, o instrumento que ele dispõe para manifestar sua inteligência, e exprimir o teor do seu psiquismo;
Assim, fica demonstrado, através dos movimentos que ela efetua, a natureza dos sentimentos, do temperamento e da psicologia que a animam.
A mesinha como intérprete material, sensibilizada pelo magnetismo humano, na sua movimentação para dar o recado do Além, também se impregna com algo da contextura psicológica dos seus próprios comunicantes desencarnados.
Ao mesmo tempo que o espírito comunicante transmite os seus pensamentos pela tiptologia, que é
a “linguagem das pancadas “ele também exprime a natureza de seus sentimentos pela sematologia, que é a linguagem dos sinais:
- As entidades benfazejas e serenas, quando se comunicam, fazem com que a mesinha se curve ou bata docemente, efetuando movimentos tranquilos e suaves.
- Os espíritos severos e enérgicos, mas bem intencionados, promovem batidas firmes, movimentos exatos, rápidos e decisivos;
Os espíritos destros e de bastante vitalidade espiritual manejam a mesa com firmeza e segurança; - Os recém-desencarnados, sofredores ou acabrunhados pelo remorso, movem a mesa de modo penoso e incerto, porque ainda se manifestam psiquicamente debilitados e confusos;
- As entidades agressivas e mal intencionadas efetuam movimentos bruscos e rudes, apresentando um estilo tiptológico carregado de hostilidade;
- Os espíritos coléricos produzem movimentos impacientes e nervosos;
- Espíritos levianos e zombeteiros ou mistificadores, através da mesinha, traem seus impulsos duvidosos e falsos na burla contra os encarnados;
- Os espíritos néscios e estúpidos do Além, acionam a mesa tiptológica desatinadamente e de modo confuso.
5. OS GIROS E MOVIMENTOS DAS MESAS
Cada dia de acordo com a situação que atravessam os participantes , faz-se uma movimentação peculiar da mesa. Esta se deve à intensidade e necessidades energéticas da noite.
Podemos ter uma falta de energia cinética, e isto deve ser compensada com a doação de ectoplasma de cada um.
Então teremos uma demora maior no início da movimentação da mesa, porque deve ser trabalhado o ectoplasma que vem a ser extraído dos participantes. O ajuste da quantidade dele é feito pelos dirigentes espirituais.
Na dimensão espiritual, o trabalho é intenso e começa logo ao amanhecer do dia em que se realizará o "trabalho".
A alimentação, a psique dos membros do grupo pode influenciar neste ectolplasma, que varia de densidade já após ser preparado.
Deve-se, portanto, abster-se de alimentação pesada neste dia, porque, caso contrário, nossos esforços terão de ser redobrados.
A movimentação pode ser dividida em: rápida, lenta, vigorosa e menos intensa; o sentido pode ser:
horário, anti-horário, subir, mover-se com um pé só e bater no solo(batidas).
1º - Movimentação rápida - sinônimo de aceleração dos trabalhos, dispersão ou concentração com rapidez para desfazer ou refazer o ambiente energético imediatamente.
2º - Movimentação lenta - Está relacionado com a leveza (vibratória) dos participantes, na delicadeza da manipulação energética, na sutileza das energias e tratamentos feitos.
3º - Vigorosa - Relacionada com a energia de um ou outro participante (encarnado ou desencarnado). Este participante é "sacudido” em suas convicções, seu sectarismo e seu cepticismo. O vigor dispersa ou concentra com intensidade tal que a mesa pode voar. Seu controle é feito por trabalhadores de alta capacidade de concentração e força de vontade.
4º - Pouca intensidade - Neste momento em que "quase” não se percebe o movimento da mesa, ela "parada" aos vossos olhos, troca toda a energia dos participantes. É como se fosse uma transfusão sanguínea. A cada um é dado segundo às necessidades, merecimento e perspectivas para trabalhos futuros. 5º - O sentido - Já é de vosso conhecimento qual a intenção de se trabalhar o sentido do movimento, que será:
a- Horário - concentração de energia dispersa pelos participantes;
b- Anti-horário - dispersão das negatividades;
6º - Um pé só - responsável pelo trabalho de descarga dos presentes.
7º - Batidas - Forma de comunicação, que parte de A e pára na letra a comunicar.
6. QUALIDADE DAS COMUNICAÇÕES DE TIPTOLOGIA.
Muitos pensam, erroneamente, que a tiptologia é um trabalho mediúnico de baixa qualidade espiritual, em que só operam espíritos inferiores, mas, na verdade o que determina a qualidade superior ou inferior de qualquer trabalho mediúnico não é o seu gênero de expressão, mas, sobretudo as condições morais e a natureza dos objetivos dos seus componentes.
Não há dúvida de que a sintonia com os espíritos desencarnados também dependerá das intenções boas ou más dos encarnados.
A mesa tiptológica é apenas um meio, um instrumento convencional para ajustar os interesses efacultar as relações, como ponto de apoio, entre os vivos e os mortos.
Em consequência, a tiptologia é um gênero de trabalho mediúnico que também permite cuidar-se de assuntos elevados, desde que seja praticada por criaturas mais interessadas na sua ascensão espiritual do que mesmo na solução de seus problemas da vida material transitória.
7. O QUE ATRAI ESPÍRITO ESPÍRITOS INFERIORES
O que atrai os espíritos inferiores nos trabalhos mediúnicos são os objetivos ou as intenções condenáveis, e não o tipo de comunicação mediúnica adotada.
Qualquer trabalho mediúnico sem finalidade superior de libertação espiritual, e que se cristaliza no intercâmbio mercenário com as entidades do espiritual inferior, termina sempre por agravar a escravidão da criatura às formas terrenas.
Em qualquer trabalho de intercâmbio com o Além, o que eleva ou rebaixa tanto o nível espiritual como o intelectivo, são os propósitos adotados pelos seus componentes.
A base fundamental do progresso e do êxito de qualquer trabalho mediúnico ainda é a natureza elevada dos seus objetivos, pois só desse modo afastam-se as entidades galhofeiras e levianas, que costumam interferir em qualquer empreitada medianímica de propósitos triviais ou interesses materiais.
Esses espíritos irresponsáveis tudo fazem para quebrar a fé, e semear a desconfiança, a intriga ou decepções mais amargas entre aqueles que totalmente se colocam sob sua direção subversiva.
Os galhafeiros e malfeitores se afastam ante a inutilidade de seus esforços dispendidos para subverter ou mistificar os encarnados.
8. COMUNICAÇÕES PERVERSIVAS PELA TIPTOLOGIA.
Os espíritos perversos, levianos e escarnecedores enleiam os encarnados com respostas incompletas e ditam frases tolas à conta de assuntos elevados e importantes. Além disso; - Obrigam algumas vezes, os componentes do trabalho tiptológico a longas esperas e imobilizam a mesa girante, enquanto se riem a fartar da perplexidade e da indecisão incomodativa que causa;
- fazem escrever as mesmas palavras inúmeras vezes;
- produzem ditados parodoxais;
- compõem farsas histórias, revelações exóticas e predizem acontecimentos contraditários;
- sentem prazer habitual em atiçar a curiosidade dos assistentes, para depois deixá-los no meio do caminho; Os mais pervertidos se aproveitam da incipiência, da leviandade ou do interesse vulgar dos presentes e através da mesa girante;
- compõem palavras e frases obscenas;
- transmitem falsos avisos de morte e semeiam aflição entre os que recepcionam;
- prevêem enfermidades atrozes;
- receitam para os doentes remédios extravagantes e beberagens nocivas a conta de sábias prescrições médicas;
- induzem os seus admiradores às adorações idólatras e os incentivam na crença de idiotices religiosas;
- recomendam o uso de talismãs ridículos, de insígnias tolas ou de orações misteriosas; Fazem profecias levianas, despreocupadas de qualquer consequencia futura, asseguram promoções na carreira de funcionários, predizem extraordinários sucessos políticos ou excelentes transações no coméricio;
9. LEVITAÇÃO
É o fato de pessoas ou coisas serem erguidas ao ar, sem auxílio exterior de caráter material, contrariando assim, aparentemente, as leis da gravidade.

Muitas teorias foram aventadas para explicar o fenômeno, mormente, mas o que realmente se dá é
que os espíritos operantes envolvem a pessoa ou coisa a levitar em fluidos, isolando-os assim do ambiente físico, sobre o qual se exerce normalmente a lei do peso; assim isolados, podem então ser, tais pessoas ou coisas, facilmente manejados, em qualquer sentido.
A ação do Espírito sobre o material a levitar se realiza pela utilização das suas próprias mãos, convenientemente materializadas, ou com auxílio de hastes, bastões, espátulas, etc., fluídicas previamente condensadas.
Em todos os casos, porém a ação do operador invisível se dá sempre sobre a substância isolada, que passa, assim, a ser um suporte, uma base de ação. Os casos mais raros desta modalidade são as levitações plenas do corpo do médium, que pode, durante o transcurso do fenômeno, permanecer às vezes plenamente consciente, normalmente o médium levitado está em transe.
Um exemplo clássico destes fenômenos foram as levitações do médium Home que, só na Inglaterra, foi levantado mais de cem vezes, em algumas indo até o teto do aposento, onde permanecia em várias posições e plenamente consciente.
DANIEL DUNGLAS HOME
O caso de Daniel Dunglas Home foi fartamente documentado por pessoas que pesquisaram os fenômenos produzidos por ele. No dia 13 de dezembro de 1868, Home flutuou horizontalmente, como se estivesse deitado numa cama, através de uma janela aberta no terceiro andar de uma casa e voltou por outra. Feito isso, Home ficou de pé. O fenômeno foi, em seguida repetido, sempre diante de testemunhas.
Em outras ocasiões, Home levitou numa sala assistido por um grupo de pessoas.
CARMINE MIRABELLI
O fenômeno de levitação que ocorria com Carmine Mirabelli é bastante conhecido e existem até fotografias, tiradas a luz do dia, mostrando-o de pé, com os braços abertos, levitando bem acima do chão, a cabeça quase atingindo o teto do salão.
SÃO JOSÉ DE CUPERTINO
São José de Cupertino em frente de um embaixador e sua esposa, levitou e voando voltou a sua cela.
OUTROS EXEMPLOS
O venerável Antoine Margil, um franciscano que viveu no México e na Guatemala no século 18;
Eusápia Palladino no século 19, que conseguiu erguer-se no ar mesmo quando estava amarrada a um móvel de grossas cordas; Entre os santos temos os casos de Santa Tereza D’Avila, que agarrava-se a grades para resistir ao efeito da levitação e foram incontáveis os testemunhos que viram São Pedro de Alcantâra levitar.

FENÔMENOS DE ASSOMBRAÇÕES E
VOZ DIRETA

1. OS FENÔMENOS DE ASSOMBRAÇÕES
A produção dos fenômenos de efeitos físicos só é possível se existir no ambiente o elemento energético denominado ectoplasma, geralmente oriundo de um médium que possua a faculdade de exsudá-lo.
Há casos em que o fenômeno se manifesta de modo imprevisto, em qualquer local ou ambiente, fazendo-se ouvir risos, vozes, gemidos, deslocamentos de objetos, portas ou janelas que se abrem ou fecham, entre outros fenômenos estranhos.
Esses casos são os apontados genericamente como “assombrações”.
Os trabalhos mediúnicos de efeitos físicos mesmo de modo imprevisto, está sob o comando de equipes de espíritos que operam no Além, muito mais que satisfazerem a curiosidade dos que os organizam, obedecem sempre a um objetivo sensato e a desígnios úteis de esclarecimento moral e espiritual.
Quando acontece à revelia de qualquer disciplina ou controle, é porque, no lugar onde ocorrem, estão presentes pessoas que, mesmo sem saberem, são médiuns que exsudam ectoplasma.
É, então, comum alguns indivíduos mais ansiosos irem ao local de sua ocorrência e esses fenômenos não se repetirem, justamente porque os “curiosos” que foram certificar o caso não possuem essa faculdade mediúnica.

2. LOCAIS ASSOMBRADOS
VAZAMENTO DO TÔNUS VITAL
Nos lugares ermos, onde ocorreram homicídios tenebrosos e tragédias brutais, em que a vida foi cortada subitamente, os “cordões vitais”, que através do duplo-etérico ligavam o perispírito da vítima ao corpo físico, foram rompidos violentamente.
Pelos seus fragmentos, ainda palpitantes, é expelido o tônus-vital das vítimas, ficando impregnado no solo adjacente, assim como também se adere à “seiva” etérica da vegetação ao derredor.
Os espasmos das vítimas, na sua luta para não morrerem, projetam igualmente forte saturação no
éter circunvizinho, cuja toxidez mórbida só após certo tempo é desintegrada pelo seu duplo-etérico,
ao desligar-se do perispírito e do corpo físico.
Como o tônus-vital, que flui das “pontas” do cordão vital quando este é secionado, fica bastante impregnado de ectoplasma, isso torna os lugares onde ocorrem crimes e tragédias horripilantes num ambiente bastante “ectoplasmizado”.
FLUÍDO ECTOPLASMÁTICO POSSIBILITA AÇÃO DOS ESPÍRITOS
Nos lugares “assombrados” existe uma espécie de cortina etéreo-espiritual de fluido ectoplásmico muito densa, e esse fato possibilita aos espíritos sofredores, vingativos, zombeteiros ou traumatizados, do espiritual inferior, fazerem ouvir suas vozes e ameaças, seus gritos ou gemidos, causando pavor nos encarnados que acorrerem a esses ambientes.
Tais fenômenos assustadores se manifestam de forma ainda mais perceptível aos sentidos dos encarnados se o indivíduo que permanecer na região “assombrada” for portador de mediunidade.
Espíritos inferiores buscam estes lugares para absorverem estes fluidos ectoplasmáticos e de certa forma o perispírito destes Espíritos se densificam, tornando-se mais fácilmente visíveis para os médiuns videntes e audíveis para os médiuns audientes, mas esta densidade está longe de torná-los materializados, por isso são chamados de assombração.
Essas assombrações de vozes, gritos, ruídos, gemidos lúgubres ou aparições tenebrosas ocorrem em zonas ermas, lugares isolados, escuros, e somente à noite porque o ectoplasma é muito sensível à luz solar, e mesmo à luz branca artificial, embora com o tempo, através de graduações lentas da luz vermelha para a amarela, ele chegue à resistir a ação da própria luz do dia.
É por isso que somente à noite, esses lugares ectoplasmizados apresentam condições de repercutir para a matéria os movimentos, os brados, os gemidos e demais fenômenos produzidos pelos espíritos sofredores que vagueiam pelo local.
OS ANIMAIS CONSEGUEM VER OS ESPÍRITOS
Muitas vezes, essas aparições ferem a retina dos animais, obrigando os cavaleiros a empregar tremendos esforços para dominar sua cavalgadura empinada, ou fazer calar o cão aterrorizado.
NAS CIDADES OS FLUIDOS SE DISSOLVEM RAPIDAMENTE
Porém, à medida que os núcleos civilizados penetram essas zonas assombradas, a presença das criaturas e os seus pensamentos renovadores e sadios desempenham uma espécie de função profilática: pouco a pouco, vai se dissolvendo a “cortina ectoplásmica” saturada de paixões ou emoções deprimentes, até que o ambiente espiritual fique purificado.
Isso explica a razão por que os crimes cometidos no ambiente urbano, na cidade iluminada, não fazem com que o local fique “assombrado” ou ectoplasmizado, justamente devido às centenas ou milhares de criaturas que por ali transitam, as quais, pelos seus pensamentos, dissolvem rapidamente os fluidos tóxicos que foram deflagrados no lugar.
3. OS FENÔMENOS DE APARIÇÕES
Os santos, que costumam aparecer aos camponeses ou às crianças (como nos casos de Fátima, Aparecida do Norte ou Lourdes), não passam de espíritos de intensa luminosidade e beleza angélica, confundidos com “Nossa Senhora” ou “Jesus”.
Nesses casos, o ectoplasma exsudado pelas crianças e pelas pessoas humildes, simples e boas, combina-se com a mesma substância existente no duplo-etérico da própria Terra (fluido telúrico e substancioso), que é rudimentar mas sobrecarregado de magnetismo virgem, e que assim se presta magnificamente para emoldurar a projeção de espíritos formosos, dando margem à crença nas aparições de santos e santas, tradicionalmente cultuados pelas Igrejas Tradicionais.
Esses fenômenos de aparições sublimes são ainda mais freqüentes nas proximidades de regatos, de bosques encantadores, nos lugares mais inóspitos, de pouco trânsito humano e de zonas desimpedidas dos maus fluidos, como as grutas ou as pradarias verdejantes.
4. O FENÔMENO DA VOZ DIRETA
A mente funciona em planos cujas oscilações estão muito acima do campo vibratório comum do ambiente físico; enquanto a mente vibra no éter, a voz humana vibra no ar.
Quando os espíritos desencarnados querem falar com os encarnados, eles necessitam de um elemento intermediário que tanto lhes baixe o tom vibratório da “voz etérica”, como também a faça repercutir de modo audível no ambiente do mundo material.
Esse elemento medianeiro é o ectoplasma, substância fluídica, exsudada pelos médiuns.
EXISTEM CASOS NA BÍBLIA
Na própria Bíblia encontram-se relatos de vários casos em que o fenômeno da audição da “voz direta”, à luz do dia, foi testemunhada.
Tais casos ocorrem quando o Alto precisa comunicar-se com as criaturas encarnadas a fim de condicionar quaisquer providências ou fatos de ordem social ou espiritual.
Em quando isso acontece, é porque aqueles que se acham presentes exsudam o ectoplasma que os espíritos desencarnados utilizam, e cuja intervenção através dessas “vozes” atende a planos estabelecidos pelo Alto.
A “VOZ DIRETA”, EM GERAL SE PROCESSA DA SEGUINTE FORMA:
a) através da garganta do próprio perispírito;
b) através da garganta do médium;
c) c) através de gargantas ectoplásmáticas.
a) ATRAVÉS DA GARGANTA DO PRÓPRIO PERISPÍRITO
Os Espíritos agregam em torno dos órgãos vocais do seu perispírito o ectoplasma mediúnico e, por um vigoroso esforço mental, conseguem fazê-los vibrar para o mundo físico;
b) ATRAVÉS DA GARGANTA DO MÉDIUM
Em alguns casos, o Espírito comunicante pode utilizar-se diretamente da laringe do médium em transe, fazendo-a vibrar sob a sua vontade, e dando-lhe a entonação desejada, cujos sons articulados nas suas cordas vocais são ampliados pelo megafone que flutua no ar, através de um tubo de substância espiritual ligado diretamente aos órgãos vocais do médium.
Os espíritos operantes controlam o médium, condicionam-lhe a voz para a trombeta ou megafone, ajustando-a no diapasão ou tom de voz que o espírito comunicante possuía quando estava encarnado.
O som, produzido pela laringe do médium e sob o controle do espírito comunicante, não resulta de repercussão do ar sobre as suas cordas vocais, pois essa operação é executada no plano espiritual, após o que é ampliada pelo megafone e ouvida pelos encarnados.
O fenômeno processa-se primeiramente na laringe etéreo-espiritual do perispírito do médium, repercutindo logo em seguida, no mundo físico, através do ectoplasma catalisado pelas ondas sonoras da música ou cântico dos presentes.

As vibrações sonoras descem até os órgãos vocais do corpo físico médium, de onde sai um tubo ectoplasmático que leva essas vibrações, até os megafones.

c) ATRAVÉS DE GARGANTAS ECTOPLÁSMÁTICAS
Noutro caso, os químicos desencarnados misturam substâncias específicas do plano espiritual à energia ectoplásmica obtida do médium e dos assistentes, depois modelam a máscara anatômica artificial, mas possuindo boca, língua e garganta, que possibilitam a mesma função da voz dos encarnados.
COMO SÃO MOLDADAS AS GARGANTAS ECTOPLASMÁTICAS
Dos médiuns e das pessoas presentes, um químico do mundo espiritual extrai para manipulação, certos ingredientes (ectoplasma), ao qual o mesmo químico adiciona outros fluidos mais finos, obtidos em esferas mais elevadas.
Misturando tudo isso em cubas, tigelas ou outros recipientes cilíndrico, ao qual é imprimido então, por processos especiais, intenso movimento rotatório circular, para efeito de centrifugação, do qual
resulta, por fim, um material fluídico, semi-pastoso, suficientemente condensado e manipulável à mão.
Não se pode ouvir os espíritos, enquanto não se servem dessa matéria de mais lenta vibração.
Com essa substância, os Espíritos constróem uma máscara sobre a parte inferior do próprio rosto e a ajusta bem, de maneira que lhe cubra a boca, a língua e garganta e demais órgãos de fonação perispiritual.
Os órgãos do falante assumem uma forma mais densa, a sua língua se espessa, sucedendo o mesmo com os outros órgãos materializados.
Os Espíritos encaixam sua língua perispíritual no interior do molde ectoplásmico ou língua artificial, que é oca e flexível, a princípio, experimenta certa dificuldade em movimentar esse material mais pesado, porém, com a prática, a coisa se torna mais fácil.
Quando já dominam completamente o fenômeno de mover a língua com facilidade na máscara ajustada ao rosto, e conseguem o êxito de vibrar no éter as palavras fortemente mentalizadas, então os técnicos intervém, fazendo com que o ar, passe através, da garganta anatômica fazendo-a vibrar e os sons etéricos repercutem no ambiente, fazendo-o a voz do Espírito ser ouvida entre os encarnados.
Lembramos que, enquanto a mente vibra no éter, a voz humana vibra no ar. Para apanhar o ar que fará vibrar os órgãos vocais, precisa também materializar os seus pulmões.
OS ESPÍRITOS PRECISAM EXERCITAR-SE PARA UTILIZAR A MÁSCARA
Os espíritos que desejam falar para o mundo material passam a exercitar-se com essa máscara e o seu mais breve ou demorado êxito fica dependendo do treino e da habilidade com que a utilizam para vibrar, e assim transmitirem suas palavras aos terrícolas.
Nem todos os espíritos se submetem aos treinos exaustivos com a máscara ectoplásmica, alegando alguns que nem sempre são compensados pelos esforços heróicos que efetuam para conversar com seus parentes e amigos encarnados.
O BOM RESULTADO EXIGE MUITO ESFORÇO DA EQUIPE ESPIRITUAL
O bom resultado entre os planos físico e etéreo-espiritual exige muito esforço dos desencarnados. Por isso, do grupo de trabalho espiritual também faz parte um coordenador, cuja tarefa principal é a de ensinar os espíritos comunicantes a “falarem” para a assistência, ensinando-os a manejarem as cordas vocais dos médiuns pela condensação de ectoplasmas, ou então a moverem a máscara com o aparelho de fonação estruturado na substância etéreo-espiritual.
Outros cooperadores orientam os comunicantes para se ajustarem, em tempo certo, ao círculo de operações atingível pelo ectoplasma do médium; ou então movem a “trombetas”, ligam o tubo espiritual de ampliação das vozes e fabricam as “varetas” para levitação de objetos, produção de ruídos ou pancadas nos móveis.
A VOZ DIRETA EXIGE MUITA TÉCNICA POR PARTE DO ESPÍRITO
Ante essas dificuldades, que exigem muita disciplina e perseverança, nem todos os espíritos desencarnados se submetem aos cursos e exercícios fatigantes que a técnica sideral exige a fim de se produzir a voz direta, pois o treino pode levar dias, meses e até anos, mobilizando intensos
esforços e recursos por parte dos desencarnados para lograrem êxito integral nesse tipo de comunicação mediúnica.
Daí os motivos por que nem sempre os freqüentadores que comparecem assiduamente aos trabalhos de fenômenos físicos conseguem satisfazer o desejo ardente de “ouvir” a voz ou mesmo de “ver” o parente ou amigo desencarnado materializado, o que poderia lhes fortificar a convicção na sobrevivência do espírito, por cujo motivo passam a alimentar dúvidas capciosas sobre a procedência das demais vozes ou materializações que observam, uma vez que não se manifesta aquele que lhe mobiliza toda a ansiedade espiritual.
No entanto, as sessões de fenômenos físicos são convincentes e maravilhosas para os freqüentadores que logram a sorte de ver e trocar idéias com o familiar desencarnado e que se preste docilmente a todas as provas e sutilezas indagativas.
Mas, infelizmente, há assistentes que por impaciência desistem de freqüentar determinados trabalhos de efeitos físicos, justamente às vésperas de confabularem com o seu familiar querido, o qual há muito tempo treinava com a máscara ectoplásmica, afinando a laringe etérica, a fim de conseguir comunicar-se.
LIVRO “MISSIONÁRIOS DA LUZ” - ANDRÉ LUIZ
Vejamos agora no livro “Missionários da Luz”, o que André Luiz, descreve de uma sessão de voz direta que presenciou durante seu aprendizado no espaço.
“Notando a perturbação vibratória do ambiente, em vista da atitude desaconselhável dos companheiros encarnados, disse Calimério ao controlador mediúnico: - Alencar, é necessário extinguir o conflito de vibrações. Nossos amigos ignoram ainda como auxiliar-nos harmonicamente, através das emissões mentais. É razoável se abstenham da concentração por agora. Diga-lhes que cantem ou façam música de outra natureza. Procure distrair-lhes a atenção deseducada”. “ – André Luiz, falou o meu orientador em tom grave, improvisemos a garganta ectoplasmática. Não podemos perder tempo....” “É identificando-me a experiência, acrescentou: - Não precisa inquietar-se. Bastará ajudarme na mentalização das minúcias anatômicas do aparelho vocal. A força nervosa do médium é matéria plástica e profundamente sensível às nossas criações mentais”. “Logo após, Alexandre tomou pequena quantidade daqueles eflúvios leitosos, que se exteriorizavam, particularmente através da boca, narinas e ouvidos do aparelho mediúnico, e como se guardasse nas mãos reduzida quantidade de gesso fluido, começou a manipulá-lo, dando-me a impressão de estar completamente alheio ao ambiente, pensando com absoluto domínio de si mesmo, sobre a criação do momento”.
“Aos poucos, vi formar-se sobre meus olhos atônitos, um delicado aparelho de fonação. No íntimo do esqueleto cartilaginoso, esculturado com perfeição na matéria ectoplasmática, organizavam-se os fios tenuíssimos das cordas vocais, elásticas e completas, na fenda glótica e, em seguida, Alexandre experimenta emitir alguns sons, movimentando as cartilagens aritenóides (cartilagens da laringe)”. “Formara-se, ao influxo mental e sob a ação técnica de meu orientador, uma garganta
irrepreensível”. “Com assombro, verifiquei que, através do pequeno aparelho improvisado e com a
cooperação do som de vozes humanas guardadas na sala, nossa voz era integralmente percebida por todos os encarnados presentes”.
“.... Fêz-se música no ambiente e vi que o irmão Alencar, depois de ligar-se profundamente à organização mediúnica, tomava forma, ali mesmo ao lado da médium, sustentada por Calimério e assistida por numerosos trabalhadores”.

DOENÇAS
TIPOS E COMO SURGEM
TIPOS DE DOENÇAS
1. DOENÇAS FÍSICAS
As doenças físicas são meras circunstâncias ocasionais, não radicadas a vidas anteriores, são desajustes passageiros do metabolismo orgânico, por efeito de transgressões atuais.
A disfunção orgânica é um estado que poderíamos chamar de “estado alterado de qualquer órgão por apresentar uma doença”.
O que existe na disfunção orgânica são moléstias ou distúrbios provocados por algum excesso de esforço, exagero alimentar, acidente, contaminação bacteriana, virótica, etc., que prejudica algum órgão de funcionar como deveria, criando a indisposição. A indisposição orgânica pode ser curada pela medicina material.
2. DOENÇAS ESPIRITUAIS (CÁRMICAS)
São as doenças provenientes das nossas vibrações (Pensamentos e Sentimentos)
O acúmulo em nosso perispirito de energias nocivas geram a auto-intoxicação fluídica, e quando estas energias descem para o organismo físico criam o campo energético propício para a instalação das doenças que afetam todos os órgãos vitais, tais como coração, fígado, pulmões, arrastando um corolário de sofrimentos.
As energias nocivas que provocam as doenças espirituais podem ser oriundas de reencarnações anteriores, que se mantém no perispírito enfêrmo enquanto não forem drenadas.
A cada reencarnação podemos trazer já ao nascer, ou até mesmo na vida intra-uterino, os efeitos das energias nocivas presentes em nosso perispírito e que se agrava a medida que na reencarnação atual acumulamos mais energia negativa.
Enquanto persistir as energias nocivas no perispírito a cura não se completará. Pode-se dizer que o corpo queima para que o espírito se purifique.
Como diz Emmanuel: “As chagas da alma se manifestam através do envoltório humano e o corpo doente reflete o panorama interior do espírito enfermo”.
As curas, portanto, não se podem dar a não ser quando o processo reabilitador chegue a seu termo, ou seja, que cesse a causa que gera a doença que é a transformação moral do indivíduo.
3. DOENÇAS ATRAÍDAS OU SIMBIÓTICAS
Uma criatura colérica, vibrando sempre maldades e pestilências, o que pode atrair senão as mesmas coisas?
Essa atração gera uma simbiose energética, que pela via fluídica, nos causa a percepção da doença que está afetando o organismo do Espírito que está imantado energeticamente em nós, provocando a sensação de que a doença está em nós a doença, pois sentimos todos os sintomas que ele sente. Aí vamos ao médico e ele nada encontra.
Diz, ainda, André Luiz: “que, se a mente encarnada não conseguiu, ainda, disciplinar e dominar suas emoções e alimenta paixões (ódio, inveja, vingança), entrará em sintonia com os irmãos do plano espiritual, que emitirão fluidos maléficos que irão impregnar o Perispírito do encarnado, intoxicando-o com essas emissões mentais, podendo levá-lo até a doença”.
Consultar a obra de André Luis Missionários da Luz: cap. 3 – Desenvolvimento Mediúnico (Bacilos
psíquicos), cap. 4 – Vampirismo (Bacilos) e cap. 14 – Passes (Nuvens escuras)
O QUE É DOENÇA CÁRMICA
O que é uma doença? Seria a doença um mal de fato?
A curadora norte-americana Barbara Ann Brennan, na obra “Mãos de Luz”, nos apresenta um raciocínio muito interessante: “Toda doença é uma mensagem direta dirigida a você, que lhe diz que você não tem amado quem você é, nem se tratado com carinho a fim de ser quem você é”.
De fato, todas as vezes que nosso corpo apresenta alguma “doença”, isto deve ser tomado como um sinal de que alguma coisa não está bem.
A doença não é causa, é consequência. Toda causa de doença é proveniente das energias negativas que circulam por nossos organismos espiritual e material.
O controle das energias é feito através dos pensamentos e dos sentimentos, portanto se possuímos energias que nos causam doenças é porque somos indisciplinados mental e emocionalmente.
André Luiz nos diz no livro Nos Domínios da Mediunidade: “Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual absorve elementos que lhe degradam, com reflexos sobre as células materiais”.
A MECÂNICA DAS ENERGIAS EM NOSSO ORGANISMO
Nós recebemos permanentemente energia vital, que vem do cosmo, da alimentação, da respiração e da irradiação das outras pessoas e a elas imprimimos a energia gerada pelo que pensamos e sentimos.
Primeiro ocorre uma reação química, em seguida a metabolização e após a irradiação, portanto somos responsáveis por emitir boas ou más energias às outras pessoas.
A energia que nós irradiamos aos outros, estará impregnada com a nossa carga energética, isto é, carregada das energias dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos. Portanto vigie o que pensa e sente.
COMO SURGEM AS DOENÇAS CÁRMICAS
A cada pensamento, emoção, sensação ou sentimento negativo o perispírito adquire imediatamente forma mais densa, sua cor fica mais escura, isso pela absorção de energias nocivas.
Durante os momentos de indisciplina, o homem mobiliza e atrai fluidos primários/grosseiros, os quais, convertem-se num resíduo denso e tóxico.
Devido a densidade estas energias nocivas não conseguem descer de imediato ao corpo físico e vão se acumulando no perispírito.




VIDAS MICROSCÓPIAS QUE CAUSAM DOENÇAS
A medicina explica em seus tratados didáticos, que no organismo do homem existem, desde o seu
nascimento físico, os micróbios, bacílos, vírus, bactérias, capazes de produzirem muitas espécies de doenças humanas.
Porém, graças a essa quantidade infima de cada tipo de vida microscópica existente, eles não causam incômodos, doenças ou afecções mórbidas, pois ficam impedidos de uma proliferação além da “cotamínima” que o corpo humano pode suportar sem adoecer.
No entanto, quando esses germens ultrapassam o limite de segurança biológica fixado pela sabedoria da Natureza, motivado pela presença de energias nocivas no corpo físico, eles então se
proliferam e destróem os tecidos do seu próprio “hospedeiro”, resultando então as doenças.
A Causa da proliferação das vidas microscópicas são:
• Energia física densa que surge no plano físico provocam as doenças físicas. São mais fáceis de curar, exigem cuidados físicos.
• Energia espiritual densa vindas do perispírito provocam as doenças espirituais. São mais difíceis de curar, exigem além de cuidados físicos os cuidados morais.
O QUE ACONTECE QUANDO AS ENERGIAS NOCIVAS CHEGAM AO CORPO FÍSICO
Partindo, portanto, das estruturas energéticas do perispírito na direção do corpo, em ondas sucessivas, essas radiações nocivas criam áreas especificas nas quais podem se instalar ou se desenvolver vidas microscópicas encarregadas de produzir os fenômenos compatíveis com os quadros das necessidades morais para o indivíduo.
Essas vidas microscópicas são as bactérias, bacilos, vírus, etc, que se alimentam destas energias nocivas, portanto, quando essas energias chegam ao físico conseguem se multiplicar mais rapidamente e em consequência causam as doenças.
AÇÃO DA LEI DE CAUSA E EFEITO
A recuperação do espírito enfermo, só poderá ser conseguida mediante a eliminação da carga tóxica que esta impregnada no seu perispírito.
Mas, embora o pecador já arrependido, esteja disposto a uma reação construtiva no sentido de purificar-se, ele não pode subtrair-se aos imperativos da lei de Causa e Efeito.
A cada atitude corresponde um efeito de idêntica expressão, impondo retificação de aprimoramento na mesma proporção, ou seja, temos que despender um esforço para repor as energias positivas do mesmo modo que despendemos esforço para produzir as energias negativas que se acumulam em nosso perispírito.
COMO ELIMINAR AS ENERGIAS TÓXICAS
1. EXPURGO FLUÍDICO DO PERISPÍRITO PARA O FÍSICO
E, assim, como decorrência de tal determinismo, o corpo físico que ele veste agora, ou outro, em reencarnação futura, terá de ser, justamente, o dreno ou válvula de escape para expurgar os fluídos deletérios que o intoxicam e lhe impedem de firmar a sua marcha na estrada da evolução.
As toxinas psíquicas, durante a purificação perispiritual convergem para os tecidos, orgãos ou regiões do corpo, provocando disfunções orgânicas, que conhecemos por nome de doença;
2. EXPURGO FLUÍDICO NOS CHARCOS DO UMBRAL
Quando o espírito não consegue expurgar todo o conteúdo venenoso do seu perispírito durante a existência física, ele desperta no Além sobrecarregado de energia primária, densa e hostil.
Em tal caso, devido à própria “lei dos pesos específicos”, ele cai nas zonas umbralinas pantanosas, onde é submetido à terapêutica obrigatória de purgação no lodo absorvente,
eles se libertam, pouco a pouco, das excrescências, nódoas, venenos e das “crostas fluídicas” que nasceram no seu tecido perispiritual por efeito dos seus atos de indisciplina vividos na matéria.
Os charcos pantanosos do umbral inferior são do mesmo nível vibratório das manchas e placas, por isso, servem para drenar essas energias nocivas.
Embora sofram muitíssimo nos charcos umbralinos, isso os alivia da carga tóxica acumulada na Terra, assim como o seu psiquismo enfermo, depois de sofrer pela dor cruciante, desperta e corrige-se para viver existências futuras mais educativas ou menos animalizadas.



SOMENTE SÃO RETIRADOS DOS CHARCOS OS PECADORES QUE ESTÃO EM CONDIÇÕES DE SEREM ATENDIDOS
Os Espíritos socorristas só retiram dos charcos purgatoriais os pecadores que já estão em condições de uma permanência suportável nos postos e colônias de recuperação perispiritual adjacentes à crosta terráquea.
Cada um tem certo limite que pode aguentar em meio a estes charcos, então é resgatado mesmo que ainda não tenha expurgado todas as placas e reencarna onde continuará expurgando/drenando essas energias através das doenças que se manifestará no corpo físico.
3. EXPURGO FLUÍDICO PELA PRATICA DO BEM
Todo ato errado cometido contra a Lei de Deus adquire-se um Carma (Necessidade de Ajuste) e todo ato bom adquire-se um Dharma (Benefício).
Isto, quer dizer que todos os atos bons praticados, com abnegação, amor, desinteresse, etc., leva a diluição das toxinas engendradas em nós.
COMBATE ÀS DOENÇAS
A Doutrina Espírita não prega o conformismo, portanto, é lícito procurar a medicina terrena, que pode aliviar as dores e curar onde for permitido.
Se a misericórdia Divina colocou os medicamentos ao nosso alcance é porque podemos e devemos utilizá-los para combater as energias nocivas que desceram do perispírito para o corpo físico, mas não devemos esquecer que os medicamentes alopáticos combatem somente os efeitos da doença.
Os remédios materiais são formados de energia positiva extraída da natureza e dissolvem a energia negativa que está provocando a doença, mas não esqueçamos, apenas dissolvem as energias negativas a nível de corpo físico, não atingindo as energias negativas que estão no perispírito.
Quando as doenças estão presente no corpo físico, devemos combatê-la, buscar alívio, muitas vezes estas doenças nos exigem tratamentos prolongados, outras vezes necessitamos até de cirurgia, mas tudo isto faz parte da “Lei de Causa e Efeito”, que procura através deste processo doloroso nos despertar para uma reforma moral.
Qualquer medida profilática em relação às doenças, tem que se iniciar na conduta mental, exteriorizando-se na ação moral, que reflete o velho conceito latino mens sana in corpore sano.
FLUIDOTERAPIA E OS MEDICAMENTOS ALOPÁTICOS
Quando iniciamos um tratamento fluirdoterápico na Casa Espírita, se estivermos tomando remédios alopáticos sob orientação médica não devemos abandona-los.
Porque a fluidoterapia irá agir nas causas da doença e os medicamentos alopaticos no efeitos.
A fluidoterapia irá ajudar na eficiência dos medicamentos alopáticos.
O QUE JESUS ENSINOU SOBRE A CURA DAS DOENÇAS
O ensinamento do Cristo em relação às curas se resume em duas afirmações:
• A tua fé te curou (Você acreditou e mudou, eliminou a causa);
• Vai e não peques mais (Agora não repita os meus erros que te levaram a doença).
DESPREOCUPAÇÃO COM O CASTIGO DIVINO É IMPORTANTE
Considerando que todos os atos tem como causa ou matriz, o pensamento (do espírito), torna-se evidente que os que tem pensamentos imorais são enfermos da alma.
E, ao contrário do que estabelece a ética da maioria das religiões, as suas transgressões não ofendem a Deus; mas a eles próprios, exclusivamente.
É preciso reeducar-nos moralmente, não porque os outros nos impingem tal reeducação; a transformação moral deve ser uma coisa analisada, pensada, vivida, sem impositivos de outras criaturas.
PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELAS ENERGIAS NOCIVAS
Estados de indisciplina são os mais responsáveis pela convocação de energias primárias e daninhas, que depois enfermam o homem pelas reações do seu perispírito contra o corpo físico:
• Orgulho, avareza, ciúme vaidade, inveja, calúnia, ódio, vingança, luxúria, cólera, maledicência, intolerância e hipocrisia;
• Amargura, tristeza, amor-próprio ofendido, fanatismo religioso;
• Consequências nefastas das paixões ilícitas ou dos vícios perniciosos.
CADA ATITUDE CORRESPONDE A UM EFEITO
A cada atitude corresponde um efeito de idêntica expressão, que permanece como contraparte da sua existência impondo retificação, se negativo, ou aprimoramento, quando salutar.
ANÁLISE DO NOSSO COMPORTAMENTO
A causa das doenças está na nossa própria leviandade no trato com a vida.
Analisemos criteriosamente o nosso comportamento e veremos que os males que nos atormentam, persistirão, enquanto não destruirmos as causas, portanto soluções superficiais são enganosas!
Temos que lutar contra todas as aflições, mas jamais de forma milagrosa. Muitos buscam atalhos as encontram em beco sem saída.

A INDISCIPLINA MENTAL CRIA OS DISTÚRBIOS
A indisciplina mental – desencadeadora da distonia emocional e do desequilíbrio emocional e do desequilíbrio moral fixa, no psicossoma (corpo) do homem, as matrizes dos distúrbios, e criam campo vibratório para as ocorrências liberativas de energias funestas.
Produzindo áreas vibratórias de teor variado, conforme a diretriz que imprime no setor das idéias dando surgimento a fatores que respondem, nas experiências carnais futuras, por harmonia física e saúde ou por limitação e desconforto.
Cada criatura vive aquilo que elabora mentalmente ou o que de si mesmo tem feito através do comportamento a que se entrega.
Programado para a plenitude espiritual, alcança-a com esforço pessoal, mediante uma decisão firme ou através de marchas e contramarchas,
ESSES ENSINAMENTOS NOS TRANSMITEM ALGUMAS ADVERTÊNCIAS:
• Procurar disciplinar sempre os pensamentos, os sentimentos e as emoções, refreando as explosões agressivas ou maldosas;
• Impedir que elas nos levam a descontroles mentais, sentimentais e emocionais, nocivos para o corpo e para o Espírito, uma vez que alteram o equilíbrio fluídico do Perispírito;
• Na necessidade de troca de experiência (convívio), com encarnados que apresentem profundos desequilíbrios, cuidar para que suas influências não nos levem desprevenidamente a condutas menos dignas;
• Pensar e agir dentro dos ensinamentos cristãos.





INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS TAMBÉM CAUSAM DOENÇAS


MECANISMOS DA CURA
ESPIRITUAL

MEDIUNIDADE CURADORA
A MEDIUNIDADE DE CURA E A MEDIUNIDADE DE EFEITOS FÍSICOS
A mediunidade curadora é a capacidade que certos médiuns possuem de curarem moléstias do corpo físico provocando reações reparadoras de tecidos e órgãos, incluindo aquelas oriundas de influenciação espiritual.
De modo semelhante aos médiuns de efeitos físicos que emitem ectoplasma, ou seja, um fluído próprio para a produção de fenômenos físicos, os médiuns de cura, emitem fluídos adequados às reparações no corpo humano;
O fluido, em essência, é sempre o mesmo: substância cósmica fundamental, mas suas propriedades e efeitos variam imensamente, segundo a natureza da fonte geradora imediata, da vibração específica e, em muitos casos, como por exemplo este, de cura, segundo o sentimento que presidiu ao ato da emissão.
Ambos são ectoplasmas, mas estão em estados diferentes. Para efeito didativo, vamos denominar ecotoplasma para efeito físico e ectoplasma para cura. A diferença entre os dois fenômenos está em que:
• No 1 caso (efeitos físicos) o fluido é pesado, denso, próprio à elaboração de formas ou à produção de efeitos objetivos por condensação, • Ao passo que, no 2 (curas), é sutilizado, radiante, próprio a alterar condições vibratórias preexistentes.
No entanto, quer se trate de fenômenos de cura ou de fenômenos de efeitos físicos, a realização do fenômeno exige sempre a interferência de espíritos desencarnados, técnicos e operadores que submetem os fluidos irradiados pelos médiuns, a avançado processo de química transcendental nos laboratórios do “lado espiritual”.
Médiuns são instrumentos de fornecer a matéria prima fluídica, quem realiza os fenômenos são os
espíritos. Quando o médium não age bem os espíritos encarregados de utilizarem os fluídos para a realização das curas se afastam o médium deixa de curar.
ESPÍRITOS DIRIGEM E AUMENTAM A FORÇA DOS FLUÍDOS
Fala Kardec (GE, cap. XIV, item 33) que o “fluido espiritual, combinado com o fluido humano, dá a este último as qualidades que lhe faltam. O auxílio dos Espíritos, em tais circunstâncias, é por vezes espontâneo, porém, com mais frequência, é provocado pelo do magnetizador”.
Em “O Livro dos Médiuns”, cap. XIV, item 176, dizem os amigos espirituais: “A força magnética reside, sem dúvida, no homem, mas é aumentada pela ação dos espíritos que ele chama em seu auxílio”.
O MÉDIUM CURADOR
O médium curador, além do magnetismo próprio, goza da aptidão de captar esses fluidos leves e benígnos nas fontes energéticas da natureza, irradiando-os, em seguida, sobre o doente, revigorando órgãos, normalizando funções, destruindo placas e quistos fluídicos produzidos por auto-obsessão ou por influenciação direta.
Põe-se em contato com essas fontes, orando e concentrando-se, animado do desejo de exercer a caridade evangélica e, como a lei do amor é a que preside a todos os atos da vida espiritual superior, ele se coloca em condições de vibrar em consonância com todas as atividades universais da Criação;
Encadeia forças de alto poder construtivo que, então, vertem sobre ele e se transferem ao doente que, a seu turno, pela fé ou pela esperança, se colocou na mesma sintonia vibratória.
Os fluidos radiantes interpenetram o corpo físico, atingem o campo da vida celular, bombardeiam os átomos, elevam-lhes a vibração íntima, e injetam nas células vitalidade mais intensa que, em consequência, acelera as trocas (assimilação, eliminação) do que tudo, por fim, resulta uma alteração benéfica, que repara lesões ou equilibra funções. Isto no corpo físico.
A CURA PARA KARDEC
De uma maneira primorosa, o Codificador Kardec nos situa: “A cura se opera mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sã.
O poder curativo está, pois, na razão direta da pureza da substância inoculada; mas, depende também da energia da vontade que, quanto maior for, mais abundante emissão fluídica provocará e tanto maior força de penetração dará ao fluido. Depende ainda das intenções daquele que deseje realizar a cura, seja homem ou espírito.
ANDRÉ LUIZ
André Luiz, em “Nos Domínios da Mediunidade”, cap. 17, diz que “o pensamento influi, de maneira decisiva, na doação de princípios curadores. Sem a idéia iluminada pela fé e pela boa vontade, o médium não conseguiria ligação com os Espíritos que atuam sobre essas bases”.
O MÉDIUM RECEITISTA
Médium receitista não é medium curador, apenas transmite, escrevendo ou falando, o pensamento do espírito comunicante, o que ele receita.
Sua especialidade consiste em servir mais facilmente de intérprete aos espíritos para as prescrições médicas.
AS OPERAÇÕES CIRÚRGICAS FEITAS DIRETAMENTE NO CORPO FÍSICO
Em tal caso, os espíritos operadores incorporam-se no próprio médium que dispõe desta faculdade; e este como autômato, opera o paciente com os mesmos instrumentos da cirurgia terrena, porém sem anestesia e também dispensando qualquer precaução de assepsia.
Em certos casos, embora raros, o espírito incorporado logra o mesmo resultado cirúrgico, utilizando como instrumentos operatórios, utensílios de uso doméstico, como facas, tesouras, garfos ou estiletes comuns; e igualmente, sem qualquer cuidados antisépticos.
Então o cirurgião invisível, incorporado no médium, corta as carnes do paciente, extirpa, excrescências mórbidas, drena tumores, desata atrofias, desimpede a circulação obstruídas, reduz estenoses, ou elimina órgãos irrecuperáveis.
E semelhantes intervenções, além de seu absoluto êxito, são realizadas num espaço de tempo exíguo, muito acima da capacidade do mais abalizado cirurgião do mundo físico.
Em tais casos, os médicos desencarnados fazem os seus diagnósticos rapidamente, com absoluta
exatidão e sem necessidade de chapas radiográficas, eletrocardiogramas, hemogramas, encefalogramas ou qualquer outras pesquisas de laboratório.
Nessas operações mediúnicas processadas diretamente na carne, os pacientes operados, tanto podem apresentar cicatrizes ou estigmas operatórios, como ficarem livres de quaisquer sinais cirúrgicos.

Em seguida a operação, eles erguem-se lépidos, e sem qualquer embaraço ou dores, manifestam-se surpreendidos pelo seu alívio inesperado e eliminação súbita de seus males.
OS ESPÍRITOS CIRURGIÕES SÃO AJUDADOS POR OUTROS ESPÍRITOS
O espírito quando opera incorporado no médium é sempre auxiliado por companheiros experimentados na mesma tarefa, os quais cooperam e o ajudam no controle da intervenção cirúrgica.
O diagnóstico, seguro e rápido, e que, antecipadamente, examinam as anomalias dos enfermos a serem operados.
Entidades experimentadas na ciência química transcendental preparam os fluidos anestesiantes e cicatrizantes; e depois os transferem do mundo oculto para o cenário físico, materializando-os na forma líquida ou gasosa, conforme seja necessário.
AS OPERAÇÕES CIRÚRGICAS FEITAS A DISTÂNCIA POR IRRADIAÇÃO
As operações cirúrgicas realizadas a distância através dos médicos espirituais podem ser realizadas diretamente no corpo físico ou somente no perispírito.
Embora o êxito das operações mediúnicas dependa especialmente do ectoplasma específico para cura, a ser fornecido por um médium de cura e controlado pelos espíritos de médicos desencarnados, há circunstâncias em que, devido ao teor sadio dos próprios fluídos do enfermo, as operações, mesmo as processadas somente no perispírito, produzem resultados miraculosos no corpo físico.
O processo de “refluidificação” com o aproveitamento dos fluidos do próprio doente, lembra algo do
recurso de cura adotado na hemoterapia praticada pela medicina terrena em que o médico incentiva o energismo do enfermo debilitado, extraindo-lhe algum sangue e, em seguida, injetando no mesmo;
processo que acelera a dinâmica do sistema circulatório.
No entanto, quer se trate de operações mediúnicas feitas diretamente na carne do paciente ou mediante fluidos irradiados a distância, o sucesso operatório exige sempre a interferência de espíritos desencarnados, técnicos e operadores que submetem os fluidos irradiados pelos "vivos", a avançado processo de química transcendental nos laboratórios do “lado espiritual”.
DIFICULDADES ENCONTRADAS PELOS ESPÍRITOS TERAPEUTAS
Durante o tratamento fluídico operado à distância, a cura depende muitíssimo das condições psíquicas em que forem encontrados os enfermos durante a recepção dos fluidos.
Os espíritos terapeutas enfrentam sérias dificuldades no serviço de socorro aos pacientes cujos nomes estão inscritos nas listas dos Centros espíritas.
O ENFERMO DEVE SE PREPARAR PARA RECEBER A CURA
Além das dificuldades técnicas resultantes de certo desequilíbrio mental do ambiente onde eles atuam, outro impecilhos os aguardam em virtude do estado psíquico dos próprios doentes.
- Às vezes, o enfermo tem a mente saturada de fluidos sombrios devidos a conversações maledicentes de intrigas, calúnias e fofocas;
- outro, ei-lo em excitação nervosa devida a violenta discussão política ou desportiva; acolá, os espíritos terapeutas encontram o doente envolto na fumarada intoxicante do cigarro ou na bebericagem de um alcoólico.
- Outras vezes, os fluidos irradiados das sessões espíritas penetram nos lares enfermos, mas encontram o ambiente carregado de fluidos agressivos provenientes de discussões ocorridas entre os seus familiares.
É evidente que os desencarnados tem pouco êxito na sua tarefa abnegada de socorrer os enfermos quando estes vibram recalques de ódio, vingança, luxúria, cobiça ou quaisquer outros sentimentos negativos.




OPERAÇÕES CIRÚRGICAS PRATICADAS NO PERISPÍRITO PROCESSADAS
DURANTE O SONO
Tais operações só atingem a causa mórbida no tecido etérico do perispírito; porém, depois de algum tempo, começam a desaparecer o seus efeitos mórbidos na carne, pelo mesmo fenômeno de repercussão vibratória.
Neste caso, como os enfermos operados ignoram o que lhes aconteceu durante o sono ou mesmo em momento de vigília e repouso, opõem dúvidas quanto a essa possibilidade.
A transferência reflexa das reações produzidas por essas operações processa-se muito lentamente, levando semanas ou até meses, para se manifestarem seus efeitos benéficos no organismo.
TODA A CURA SE DÁ PELA AÇÃO FLUÍDICA
Toda a cura se dá pela ação fluídica, visto que os espíritos agem através dos fluidos e tanto o perispírito como o corpo físico são de natureza fluídica (embora em diferentes estados) e há relação entre eles.
O agente da cura pode ser um encarnado ou um desencarnado. Nela podem ser utilizados ou não passes, água fluidificada e outros processos, como a intervenção no perispírito ou no corpo.
Na cura realizada diretamente no corpo físico, a alteração orgânica no corpo físico é de imediato visível ou passível de constatação pelos sentidos físicos ou aparelhamento material.
Na ação fluídica sobre o perispírito, a cura virá a ser avaliada depois, pelos efeitos posteriores no corpo físico.
PORQUE UMA PESSOA SE CURA E OUTRA NÃO
A cura se processa segundo a nossa fé, merecimento ou necessidade.
Já sabemos que a maior parte das moléstias de fundo grave e permanente não podem ser uradas,
porque representam resgates cármicos em desenvolvimento, salvo quando há permissão do Alto para faze-lo, mas em todos os casos há benefícios para o doente porque, no mínimo, se conseguirá uma atenuação do sofrimento.
A doutrina espírita não prega o conformismo, portanto, é lícito que busquemos a cura, mas não podemos exigi-la, porque dependerá da atração e fixação dos fluidos curadores por quem deve recebê-los.
É evidente que teremos que lutar contra todas as aflições, mas jamais de forma milagrosa.
Quando uma pessoa tem merecimento, ou sua existência precisa continuar, ou as tarefas a seu cargo exigem boa saúde, a cura poderá ocorrer em qualquer tempo e lugar e, até mesmo, sem intermediários (aparentemente, porque ajuda espiritual sempre terá havido).
Mas, às vezes, o bem do doente está em continuar sofrendo aquela dor ou limitação que o reajusta e equilibra espiritualmente;
“Se, porém, mau grado aos nossos esforços, não o conseguirmos” (a cura), devemos “suportar com resignação os nossos passageiros males”.
“Lembremo-nos de que lesões e chagas, frustrações e defeitos em nossa forma externa são remédios da alma que nós mesmos pedimos à farmácia de Deus (Emmanuel, em Seara dos Médiuns”, cap. Oração e Cura).
A CURA REAL
São raras as pessoas que cogitam sobre a cura real.
A maioria das pessoas inquietas pede alívio, apressadamente, como se a consolação real fosse obra de improviso, a impor-se de fora para dentro.
Em todo o tipo de cura deve existir a nossa participação, de forma vivencial, eliminando as causas que deram origem aos sofrimentos.
Como regenerar a saúde se perdes longas horas na posição da cólera ou do desânimo?
As vezes os males são reversíveis, cessam e retornam porque idêntica condição apresentamos, isto é, tornamos a cair nas mesmas tentações que tínhamos superados e desastradamente repetimos a queda.
A CURA DEFINITIVA
A cura só se dará em caráter duradouro se corrigirmos nossas atuais condições materiais e espirituais. A verdadeira saúde e equilíbrio e a paz que em espírito soubermos manter onde, quando, como e com quem estivermos.
Empenhemo-nos em curar males físicos, se possível. Mas lembremos que o Espiritismo “cura sobretudo as moléstias morais”.
TODOS NÓS PODEMOS CURAR
É muito comum a faculdade de curar pela influência fluídica e pode desenvolver-se por meio do exercício.
Todos nós (que estivermos saudáveis e equilibrados) podemos beneficiar fluidicamente aos enfermos com passes, irradiações, água fluidificada e, aprendendo e exercitando, desenvolvemos nosso potencial de ação sobre os fluidos.
O poder curativo estará na razão direta:
1. da pureza dos fluidos produzidos (qualidades morais, pureza de intenções, etc);
2. da energia da vontade (o desejo ardente de ajudar provoca maior força de penetração);
3. ação do pensamento (para dirigir os fluidos na sua aplicação).
No Evangelho há numerosos relatos em que Jesus ou seus seguidores curam por ação fluídica e Allan Kardec examina algum deles em “A Gênese”, cap. XV.
A mediunidade de cura, propriamente dita, é mais rara, é espontânea e se caracteriza “pela energia e instantaneidade da ação”.
O médium de cura age “pelo simples contato, pela imposição das mãos, pelo olhar, por um gesto, mesmo sem o concurso de qualquer medicamento”.
Em seguida a operação, eles erguem-se lépidos, e sem qualquer embaraço ou dores, manifestam-se surpreendidos pelo seu alívio inesperado e eliminação súbita de seus males.
OS ESPÍRITOS CIRURGIÕES SÃO AJUDADOS POR OUTROS ESPÍRITOS
O espírito quando opera incorporado no médium é sempre auxiliado por companheiros experimentados na mesma tarefa, os quais cooperam e o ajudam no controle da intervenção cirúrgica.
O diagnóstico, seguro e rápido, e que, antecipadamente, examinam as anomalias dos enfermos a serem operados.
Entidades experimentadas na ciência química transcendental preparam os fluidos anestesiantes e cicatrizantes; e depois os transferem do mundo oculto para o cenário físico, materializando-os na forma líquida ou gasosa, conforme seja necessário.
AS OPERAÇÕES CIRÚRGICAS FEITAS A DISTÂNCIA POR IRRADIAÇÃO
As operações cirúrgicas realizadas a distância através dos médicos espirituais podem ser realizadas diretamente no corpo físico ou somente no perispírito.
Embora o êxito das operações mediúnicas dependa especialmente do ectoplasma específico para cura, a ser fornecido por um médium de cura e controlado pelos espíritos de médicos desencarnados, há circunstâncias em que, devido ao teor sadio dos próprios fluídos do enfermo, as operações, mesmo as processadas somente no perispírito, produzem resultados miraculosos no corpo físico.
O processo de “refluidificação” com o aproveitamento dos fluidos do próprio doente, lembra algo do
recurso de cura adotado na hemoterapia praticada pela medicina terrena em que o médico incentiva o energismo do enfermo debilitado, extraindo-lhe algum sangue e, em seguida, injetando no mesmo;
processo que acelera a dinâmica do sistema circulatório.
No entanto, quer se trate de operações mediúnicas feitas diretamente na carne do paciente ou mediante fluidos irradiados a distância, o sucesso operatório exige sempre a interferência de espíritos desencarnados, técnicos e operadores que submetem os fluidos irradiados pelos "vivos", a avançado processo de química transcendental nos laboratórios do “lado espiritual”.
DIFICULDADES ENCONTRADAS PELOS ESPÍRITOS TERAPEUTAS
Durante o tratamento fluídico operado à distância, a cura depende muitíssimo das condições psíquicas em que forem encontrados os enfermos durante a recepção dos fluidos.
Os espíritos terapeutas enfrentam sérias dificuldades no serviço de socorro aos pacientes cujos nomes estão inscritos nas listas dos Centros espíritas.
O ENFERMO DEVE SE PREPARAR PARA RECEBER A CURA
Além das dificuldades técnicas resultantes de certo desequilíbrio mental do ambiente onde eles atuam, outro impecilhos os aguardam em virtude do estado psíquico dos próprios doentes.
- Às vezes, o enfermo tem a mente saturada de fluidos sombrios devidos a conversações maledicentes de intrigas, calúnias e fofocas;
- outro, ei-lo em excitação nervosa devida a violenta discussão política ou desportiva; acolá, os espíritos terapeutas encontram o doente envolto na fumarada intoxicante do cigarro ou na bebericagem de um alcoólico.
- Outras vezes, os fluidos irradiados das sessões espíritas penetram nos lares enfermos, mas encontram o ambiente carregado de fluidos agressivos provenientes de discussões ocorridas entre
os seus familiares.
É evidente que os desencarnados tem pouco êxito na sua tarefa abnegada de socorrer os enfermos quando estes vibram recalques de ódio, vingança, luxúria, cobiça ou quaisquer outros sentimentos negativos.
TODA A CURA SE DÁ PELA AÇÃO FLUÍDICA
Toda a cura se dá pela ação fluídica, visto que os espíritos agem através dos fluidos e tanto o perispírito como o corpo físico são de natureza fluídica (embora em diferentes estados) e há relação entre eles.
O agente da cura pode ser um encarnado ou um desencarnado. Nela podem ser utilizados ou não passes, água fluidificada e outros processos, como a intervenção no perispírito ou no corpo.
Na cura realizada diretamente no corpo físico, a alteração orgânica no corpo físico é de imediato visível ou passível de constatação pelos sentidos físicos ou aparelhamento material.
Na ação fluídica sobre o perispírito, a cura virá a ser avaliada depois, pelos efeitos posteriores no corpo físico.
PORQUE UMA PESSOA SE CURA E OUTRA NÃO
A cura se processa segundo a nossa fé, merecimento ou necessidade.
Já sabemos que a maior parte das moléstias de fundo grave e permanente não podem ser curadas, porque representam resgates cármicos em desenvolvimento, salvo quando há permissão do Alto para faze-lo, mas em todos os casos há benefícios para o doente porque, no mínimo, se conseguirá uma atenuação do sofrimento.
A doutrina espírita não prega o conformismo, portanto, é lícito que busquemos a cura, mas não podemos exigi-la, porque dependerá da atração e fixação dos fluidos curadores por quem deve recebê-los.
É evidente que teremos que lutar contra todas as aflições, mas jamais de forma milagrosa.
Quando uma pessoa tem merecimento, ou sua existência precisa continuar, ou as tarefas a seu cargo exigem boa saúde, a cura poderá ocorrer em qualquer tempo e lugar e, até mesmo, sem intermediários (aparentemente, porque ajuda espiritual sempre terá havido).
Mas, às vezes, o bem do doente está em continuar sofrendo aquela dor ou limitação que o reajusta e equilibra espiritualmente;
“Se, porém, mau grado aos nossos esforços, não o conseguirmos” (a cura), devemos “suportar com resignação os nossos passageiros males”.
“Lembremo-nos de que lesões e chagas, frustrações e defeitos em nossa forma externa são remédios da alma que nós mesmos pedimos à farmácia de Deus (Emmanuel, em Seara dos Médiuns”, cap. Oração e Cura).
A CURA REAL
São raras as pessoas que cogitam sobre a cura real.
A maioria das pessoas inquietas pede alívio, apressadamente, como se a consolação real fosse obra de improviso, a impor-se de fora para dentro.
Em todo o tipo de cura deve existir a nossa participação, de forma vivencial, eliminando as causas que deram origem aos sofrimentos.
Como regenerar a saúde se perdes longas horas na posição da cólera ou do desânimo?
As vezes os males são reversíveis, cessam e retornam porque idêntica condição apresentamos, isto é, tornamos a cair nas mesmas tentações que tínhamos superados e desastradamente repetimos a queda.
A CURA DEFINITIVA
A cura só se dará em caráter duradouro se corrigirmos nossas atuais condições materiais e espirituais. A verdadeira saúde e equilíbrio e a paz que em espírito soubermos manter onde, quando, como e com quem estivermos.
Empenhemo-nos em curar males físicos, se possível. Mas lembremos que o Espiritismo “cura sobretudo as moléstias morais”.
TODOS NÓS PODEMOS CURAR
É muito comum a faculdade de curar pela influência fluídica e pode desenvolver-se por meio do exercício.
Todos nós (que estivermos saudáveis e equilibrados) podemos beneficiar fluidicamente aos enfermos com passes, irradiações, água fluidificada e, aprendendo e exercitando, desenvolvemos nosso potencial de ação sobre os fluidos.
O poder curativo estará na razão direta:
1. da pureza dos fluidos produzidos (qualidades morais, pureza de intenções, etc);
2. da energia da vontade (o desejo ardente de ajudar provoca maior força de penetração);
3. ação do pensamento (para dirigir os fluidos na sua aplicação).
No Evangelho há numerosos relatos em que Jesus ou seus seguidores curam por ação fluídica e Allan Kardec examina algum deles em “A Gênese”, cap. XV.
A mediunidade de cura, propriamente dita, é mais rara, é espontânea e se caracteriza “pela energia e instantaneidade da ação”.
O médium de cura age “pelo simples contato, pela imposição das mãos, pelo olhar, por um gesto,
mesmo sem o concurso de qualquer medicamento”.

A Cura Espiritual e a
Medicina Oficial da Terra
A CURA ESPIRITUAL
1. A PRINCIPAL FINALIDADE DO ESPÍRITISMO É “CURAR” O ESPÍRITO
O Espiritismo não tem como finalidade principal urgente a cura das doenças do corpo.
Embora, sem alarde, coopere nesse setor de ordem humana, o seu objetivo relevante é ensinar, é orientar o espírito, no sentido de libertar-se de seus recalques ou instintos inferiores até alcançar a “saúde moral” da angelitude. Por conseguinte, não pretende competir deliberadamente com a medicina do mundo, conforme pressupõe alguns médiuns e neófitos espíritas.
Se êsse objetivo fôsse o essencial, então, os mentores que orientaram Allan Kardec na codificação da doutrina espírita certamente ter-lhe-iam indicado todos os recursos e métodos técnicos que assegurassem aos médiuns seguro êxito terapêutico no combate às doenças que afetam a humanidade.
2. OS ESPÍRITOS INSPIRAM E COOPERAM, SEM A INTENÇÃO DE DEPRIMIR A PROFISSÃO
DOS MÉDICOS
O Alto inspira e coopera nas atividades terapêuticas utilizando os médiuns, mas sem qualquer intenção de deprimir ou enfraquecer a nobre profissão dos médicos, cujos direitos acadêmicos devem prevalecer acima da atuação dos leigos .
Embora os espíritos benfeitores auxiliem por intuição os médicos dignos e piedosos, que se devotam a curar o ser humano, deveis considerar que os profissionais da Medicina também constituem uma legião de missionários dos mais úteis à humanidade.
Mesmo porque, tais cientistas, além das suas funções comuns, ainda se dedicam a pesquisar elementos terapêuticos que vençam as moléstias rebeldes, de consequencias fatais.
Eis porque o Espiritismo não é destinado a concorrer com os médicos terrícolas, nem tem a pretenção de sobrepor-se sua capacidade profissional.
3. AS CURAS OBTIDAS POR INTERMÉDIO DA MEDIUNIDADE DE CURA TEM POR OBJETIVO PRINCIPAL CHAMAR A ATENÇÃO DO ENFÊRMO
O alívio, o reajuste físico ou as curas conseguidas por intermédio da faculdade mediúnica, têm por objetivo principal sacudir o ateísmo do ênfermo, despertando-lhe o entendimento para os ensinamentos da vida espiritual.

CENTRO ESPÍRITA - HOSPITAL DE ALMAS
4. CENTRO ESPÍRITA ALEM DE ESCOLA TRATA DA ALMA
Nós os Espíritas, aceitamos, sem laivos de dúvidas, que o Centro Espírita, além de escola onde prendemos o mecanismo da vida desvendado pela Codificação Kardequiana, é, também, hospital onde "as feridas do sentimento encontram medicação e todas as inquietudes recebem repouso".
Quando transformados em hospital de almas, o Centro Espírita ministra passes; oferece água fluidificada; favorece a desobsessão; abre canais de ajuda espiritual pela força da prece e do esclarecimento; revigora a esperança pela veiculação das promessas de Jesus e torna a fé inabalável com os alicerces racionais que a Nova Luz outorga a quem deseje, para a reconstrução de uma nova vida.
5. HOSPITAIS TRATAM O CORPO O ESPIRITISMO A ALMA
Os hospitais do mundo, atendendo a sua missão, estão preocupados, apenas com o corpo. O objetivo da Casa Espírita é o de corrigir as mazelas do espírito.
Infelizmente a cirurgia mediúnica, está mais na moda do que o estudo da Doutrina.
Há uma verdadeira febre antidoutrinária em razão da busca da saúde, como o uso rituais, imagens
ou roupas especiais nas sessões de fluidoterapia, que comprometem a pureza e a simplicidade da
prática do Espiritismo.
6. O ESPIRITISMO NÃO VEIO COMPETIR COM A CIÊNCIA
Divaldo Pereira Franco em Diretrizes de Segurança, nos recomenda: "Não devemos trazer para o Espiritismo o que pertence aos outros ramos do conhecimento.
A missão de curar é do médico. O Espiritismo Não veio competir com a ciência médica.
Não devemos pretender transformar a Casa Espírita em nosso consultório médico".
Esta recomendação nos conduz a concluir que o Centro Espírita é um hospital para a alma Não para o corpo. A cura deste poderá vir por consequência, pois Não desconhecemos as origens das doenças que nos afligem...
Se a finalidade do hospital é curar o doente, quando esta cura acontece, o hospital alcançou o seu fim. Aí o paciente recebe alta e vai embora agradecendo a Deus Não ser preciso lá continuar. Já no Centro Espírita tal Não deve acontecer.
7. A FUNÇÃO DO CENTRO ESPÍRITA É ESCLARECER
A cura do mal físico ou espiritual deverá dar ao paciente motivo e condições para que na Casa permaneça, na busca de entender as razões pelas quais a doença o trouxe até ali e o porquê da cura.
Nesta linha de raciocínio, compete aos espíritas compreender a missão verdadeira da Doutrina e a função real do Centro.
Aquela é chamada com propriedade, de "Consoladora", destinada à reforma íntima do homem; a este devemos dar o épiteto de "Célula Moderna do Cristianismo", com a tarefa de interpretar a essência dos ensinamentos evangélicos à luz do Espiritismo, e divulgá-los ao mundo inteiro, viabilizando a implantação do reino de amor e fraternidade.
Não é o objetivo do Espiritismo remendar corpos; antes, sim, cuidar de almas.
8. A PRINCIPAL FINALIDADE DO ESPÍRITISMO É “CURAR” O ESPÍRITO
Quando Jesus curava os doentes que iam ao seu encontro, o seu objetivo era curar os corpos para, indiretamente, despertar ou “curar” as almas.
E a mediunidade de cura tem, igualmente, essa finalidade.
Muitos médicos, embora inconscientes do fenômeno, agem também como “médiuns”.
A mediunidade de cura mediante o Espiritismo, em sua profundidade, é uma cooperação do objetivo crístico, condicionada a evangelização do homem.
Nosso intuito é esclarecer quanto ao lamentável equívoco de muitos adeptos espíritas confundirem a finalidade precípua do Espiritismo, que é a de “curar o espírito enfêrmo”,
e não a de estabelecer-se na Terra, uma única organização mundial de assistência médica, de caráter espírita, destinada a cuidar, essencialmente, da saúde do corpo de seus habitantes.
9. HÁ MÉDICOS MAIS BEM ASSISTIDOS QUE MUITOS MÉDIUNS DE CURA
Infelizmente, certas criaturas mercenárias ainda usam a sua faculdade mediúnica como para os negócios excusos, aliando a prática da caridade na seara espírita com a remuneração fácil da moeda do mundo!
10. MUITOS MÉDICOS ALEGAM QUE A CURA ESPIRITUAL É INTROMISSÃO DESLEAL QUE
AFETA A SUA ESFERA PROFISSIONAL
Desde que a medicina acadêmica ainda não consegue curar tôdas as enfermidades do corpo físico e se mostra incapacitada para solucionar as doenças psíquicas de origem obsessiva, é evidente que os médicos não podem censurar os esforços do curandeirismo mediúnico, que tenta suprir as próprias deficiências médicas no tratamento das moléstias espirituais.
A medicina oficial, malgrado o seu protesto à intrusão do médium ou do curandeiro na sua área do profissional, fracassa diante dos casos de obsessões, quando pretende tratá-los de modo diferente
da técnica tradicional adotadas pelos espíritas e médiuns.
O médico ou o médium transformam-se em instrumentos abençoados, quando junto aos enfermos preocupam-se mais em aliviá-los de sua dor, do que auferir qualquer vantagem material.
Em consequência, o médico também pode desempenhar junto aos enfermos as funções de médium e atender às intenções dos espíritos benfeitores, caso seja uma criatura afetiva, sensível, e mais um sacerdote do que um homem de negócio.
11. AS CURAS ESPIRITUAIS TEM A FINALIDADE DE DESPERTAR E ATRAIR PARA O ESPIRITISMO AQUELES QUE SE ENCONTRAM AINDA COM SUA MENTE DISTANTE DE ENTENDER O LADO ESPIRITUAL
Repetimos novamente, que as curas espíritas incomuns despertam e atraem para o Espiritismo os homens ateus, médicos ortodoxos, religiosos dogmáticos e até os indiferentes, que depois de abalados em sua velha atitude mental não podem deixar de respeitar e mesmo interessar-se pelos ensinamentos valiosos da vida imortal.
Muitas criaturas, depois de exaustas da sua vida “via-crucis” pelos consultórios médicos, hospitais cirúrgicos ou pelas estações terapêuticas, já decepcionados e descrentes das chapas radiográficas, dos eletro-cardiogramas, da radioterapia, da encelografia, ou mutilados pela cirurgia, aceitam incondicionalmente os princípios morais e espiritiuais do espiritismo, depois de curados extraordináriamente pela água fluidificada, pelos passes mediúnicos ou medicamentos receitados pelos espíritos desencarnados.
12. O BEM DAS CURAS ESPIRITUAIS SUPERA OS EQUÍVOCOS DO MEDIUNISMO
Embora o Espiritismo não seja um movimento com o intuito de competir com a medicina oficial, ele corresponde, no entanto, à promessa abençoada do Cristo, quando prometeu o envio do Consolador no momento oportuno para curar os enfermos de espírito, embora isso os homens ainda devam conseguir atraídos primeiramente pela cura do corpo físico.
Embora nem todos os familiares dos enfermos beneficiados simpatizam, de início, com os preceitos espiríticos, muitas vezes, os mais sensíveis terminam aceitando a tese da reencarnação e a ação cármica da Lei de Causa e efeito que rege os destinos da alma em prova educativa na matéria.
Eis os motivos por que os mentores espirituais ainda endossam o receituário mediúnico sob o patrocínio do Espiritismo, apesar das receitas inócuas, esdrúxulas ou completamente anímicas, produto da precipitação, ignorância ou puro animismo dos incipientes.
O bem espiritual já conseguido no serviço benfeitor do receituário mediúnico sob a égide espírita, supera satisfatóriamente os equívocos e as imprudências de um mediunismo de urgência, mais preocupado pela cura do corpo físico, do que mesmo com a saúde do espírito imortal.
13. OS HOMENS AINDA NÃO FAZEM JUS À SAÚDE FÍSICA ABSOLUTA
Na realidade, os homens ainda não fazem jus à saúde física em absoluto, ante o desvio psíquico que exercem sobre si mesmos, no trato das paixões e dos vícios perniciosos que perturbam a contextura delicada do perispírito.
14. SÃO CURADAS AS PESSOAS QUE ESTÃO COM SUAS PROVAS CÁRMICAS TERMINADAS
As pessoas de melhor graduação espiritual, ou que se encontram no fim de suas provas cármicas dolorosas pelo sofrimentos ou vicissitudes morais já sofridas nas vidas anteriores, realmente são eletivas e beneficiadas pela homeopatia, irradiações fluídicas, passes mediúnicos ou água fluidificada, dispensando a medicina cruciante das reações tóxicas.
Eis por que há tanta decepção e variedade quanto ao êxito do tratamento dos homens, na Terra, pois a terapêutica salvadora de determinada criatura é completamente inócua aplicada a outro enfermo nas mesmas condições físicos.

FUIDOTERAPIA
FLUIDOTERAPIA NA CASA ESPÍRITA
Na Casa Espírita a fluidoterapia é ministrada aos doentes por meio do Passe, da Prece, da Irradiação, da Água Fuidificada, do Atendimento Fraterno e do Evangelho no lar.
O QUE É O PASSE
O passe é uma transfusão de energias espirituais e vitais, isto é, a passagem de um para outro indivíduo de energias.
O passe é um procedimento fluídico-magnético, que tem como principal objetivo o reequilíbrio do corpo físico e espiritual. A variação das condições fluídicas perispirituais de qualquer criatura viva produz desequilíbrios orgânicos e psicológicos, que podem dar origem a enfermidades.
Daí, a importância da terapia energética dos passes como tratamento, mas principalmente como profilaxia das enfermidades. A transfusão se dá através da imposição das mãos, sem a necessidade de tocar-lhe o corpo, porque a força energética se projeta de uma para outra aura, estabelecendo uma verdadeira ponte de ligação, as mãos direcionam o fluxo.
O fluxo energético se mantém e se projeta pela vontade do médium passista, como também de entidades espirituais que auxiliam na composição do fluidos necessários ao paciente.
Os Espíritos superiores ensinam que as mãos servem como instrumento para a projeção e direcionamento dos fluidos magnetizados, doados pelo operador, e fluidos espirituais, trazidos pelos Espíritos.
A ATIVIDADE DE PASSES É UM SERVIÇO DE CONJUNTO
Os fluidos vitais dos médiuns associam-se aos fluidos espirituais beneficiando as criaturas a nível material, emocional e espiritual.
Allan Kardec nos instrui a respeito: "A primeira condição para ser médium passista é trabalhar em sua própria depuração (moral e ética), a fim de não alterar os fluidos salutares que está encarregado de transmitir.
"O fluido humano está sempre mais ou menos impregnado de impurezas físicas e morais do encarnado; o dos bons Espíritos é necessariamente mais puro e, por isto mesmo, tem propriedades mais ativas, que acarretam uma cura mais pronta.
Mas, passando através do encarnado pode alterar-se. Daí, para todo médium passista, a necessidade de trabalhar para seu melhoramento moral" - (Allan Kardec - Revista Espírita, Setembro, 1865).
O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PASSISTA?
Como o passista doa de si uma parte dos fluidos que vão fortalecer o lado material e espiritual do necessitado, esses fluidos precisam estar limpos de vibrações deletérias oriundas de vícios.
O passista não precisa ser um santo, mas necessita esforçar-se na melhoria íntima e no aprendizado intelectual.
Fatores negativos físicos, que prejudicam os resultados do passe; Uso do fumo e do álcool; Desequilíbrio nervoso; Alimentos inadequados.
Fatores negativos espirituais/morais: Mágoas, más paixões, egoísmo, orgulho, vaidade, cupidez, vida desonesta, adultério etc.
Portanto, todos podemos ministrar passes, porém é necessário um mínimo preparo moral a fim de que a ajuda seja o mais eficaz possível.
TIPOS DE PASSES
Passe magnético: É um tipo de passe em que a pessoa doa apenas seus fluidos, utilizando a força magnética existente no próprio corpo perispiritual.
Passe espiritual : Os Espíritos aplicam fluidos, sem intermediários, diretamente no perispírito da pessoa necessitada.
No passe espiritual o necessitado não recebe fluidos magnéticos de médiuns, mas outros, mais finos e puros, trazidos dos planos superiores da Vida, pelo Espírito que veio assisti-lo.
Passe misto: É uma modalidade de passe onde se misturam os fluidos do passista com os da Espiritualidade. Este é o tipo de passe comumente aplicado nos centros espíritas.
DISPOSIÇÃO PSÍQUICA DE QUEM RECEBE O PASSE
Importante, porém, lembrarmos que a disposição psíquica de quem recebe o passe é que garantirá maior ou menor assimilação das energias.
Quando a pessoa que vai receber o passe, está no clima de meditação e de prece, permite um afrouxamento dos laços vitais que lhe unem o espírito ao corpo.
Em consequência ele experimenta a expansibilidade do perispírito ou corpo espiritual que, utilizando-se da inerente propriedade de absorvidade, assimila os fluidos, à maneira de esponja em contato com um líquido qualquer. E, porque o perispírito está unido ao corpo físico, essas energias também lhe alcançam a roupagem orgânica, propiciando-lhe grande alívio.
Está absorção dos fluidos, se dá particularmente através dos centros vitais ou centros de força, onde a ligação do perispírito ao corpo acontece de forma mais intensa e completa.
ENERGIAS QUE CIRCULAM PELOS CHACRAS E CENTROS DE FORÇA
Existem 3 tipos de energias que ocorrem nos chacras e que os fazem girar:
Nos chacras superiores há maior incidência de Energia Espiritual;


Nos chacras intermediários a incidência de Energia Vital;
Nos chacras inferiores a maior incidência é de Energia Física.
PASSES SOBRE OS CHACRAS SUPERIORES
O passe sobre os chacras superiores (coronário, frontal e laríngeo) permite uma entrada mais acentuada de energias espirituais e menor de energias vitais.
Portanto o passe sobre os chacras superiores tem por função principal o equilíbrio energético espiritual da pessoa. No passe sobre os chacras superiores ocorrerá mais equilíbrio mental, intelectual, ativará o raciocínio permitindo que a pessoa tenha condições de melhorar os pensamentos.
PASSES SOBRE OS CHACRAS INTERMEDIÁRIOS
O passe sobre os chacras intermediários (cardíaco, esplênico e gástrico) permite uma entrada mais acentuada de energias vitais. Portanto o passe sobre os chacras intermediários tem por função principal o equilíbrio vital orgânico. No passe sobre os chacras intermediários ocorrerá mais vitalização orgânica, permitindo que a pessoa tenha condições de melhorar os sentimentos.
A TÉCNICA DO PASSE ESPÍRITA
Oficialmente, a Doutrina Espírita não prescreve uma metodologia para o passe.
Cada grupo é livre para se posicionar de um modo ou de outro, desde que sem exageros.
A técnica deve ser o mais simples possível, evitando-se fórmulas, exageros e gesticulação em torno do paciente. Cada grupo deve ter o bom senso de trabalhar da forma que achar mais conveniente desde que dentro de uma fundamentação doutrinária lógica.
O que é preciso levar em conta é que nenhuma das formas de aplicar o passe surtirá efeito se o médium não tiver dentro de si a vontade de ajudar e condições morais salutares para concretizá-lo.
Mesmo que se aplique a melhor metodologia, não se conseguirão bons resultados se o passista for pessoa de má índole.
O socorro dos Benfeitores é independente da crença que o possa ter em Deus ou na Espiritualidade. Os Espíritos disseram a Allan Kardec, em "O Livro dos Médiuns", questão 176 : "...muito embora uma pessoa desejosa de fazer o bem não acredite em Deus, Deus acredita nela". (Não importa a forma).
MISSIONÁRIOS DA LUZ (Passes – Cap. 19)
1º CASO - MULHER QUE TEVE ATRITO COM O ESPOSO
- Vejamos esta irmã – exclamou Anacleto -, observe-lhe o coração. Detive-me em acurado exame e, efetivamente, descobri a existência de tenuíssima nuvem negra, que cobria grande extensão da região mencionada.


Expus ao novo amigo minhas observações, ao que me respondeu: - Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual pode absorver elementos que lhe corroem os centros de força, com reflexos sobre as células materiais.
Se a mente da criatura encarnada ainda não atingiu a disciplina, se alimenta paixões que a desarmonizam, estas absorções energéticas, em casos sucessíveis pode ocasionar perigosos desastres orgânicos.
Indicou o coração de carne da irmã presente e continuou: - Esta amiga, na manhã de hoje, teve sérios atritos com o esposo, entrando em grave posição de desarmonia íntima.
A pequena nuvem que lhe cerca o órgão vital representa matéria mental fulminatória e a permanência de semelhantes resíduos no coração pode ocasionar-lhe perigosa enfermidade.
ATENDENDO AO CASO
Anacleto colocou a mão direita sobre a paciente, notei que emitia sublimes jatos de luz que se dirigiam ao coração da senhora enferma.
Assediada pelos princípios magnéticos, a reduzida porção de matéria negra, que envolvia a região cardiovascular, deslocou-se vagarosamente e, como se fora atraída pela vigorosa vontade de Anacleto, veio aos tecidos da superfície, espraiando-se sob a mão irradiante, ao longo da epiderme.
Foi então que o magnetizador espiritual iniciou o serviço mais ativo do passe, alijando a maligna influência, erguendo ambas as mãos e descendo-as, morosamente, através dos quadris até os joelhos, repetindo o contato na região mencionada e prosseguindo nas mesmas operações por diversas vezes.
Em poucos instantes, o organismo da enferma voltou à normalidade.
O novo companheiro apontou para a irmã que se libertara da desastrosa influenciação e esclareceu, depois de uma pausa: - Nossa amiga está procurando a verdade, cheia de sincera confiança em Jesus, mas é inexperiente na esfera do conhecimento, volta-se para o Divino Criador, como a criança frágil, sequiosa do carinho materno.
É preciso assinalar, porém, que os auxiliares magnéticos transitam em toda parte, onde existam solicitações da fé sincera, distribuindo o socorro do Divino Mestre, dentro da melhor divisão de serviço.
Onde vibre o sentimento sincero e elevado, aí se abre um caminho para a Proteção de Deus.
2º CASO - SENHOR IDOSO COM PENSAMENTOS NEGATIVOS
Postávamo-nos, agora, ao lado de um cavalheiro idoso, para cujo organismo Anacleto me reclamou atenção.
Analisei-o acuradamente. Notei-lhe o fígado profundamente alterado. Outra nuvem, igualmente muito escura, cobria grande parte do órgão, compelindo-a estranhos desequilíbrios.
E via-se, com nitidez, que os reflexos negros daquela pequena porção de matéria tóxica alcançavam o duodeno e o pâncreas, modificando o processo digestivo.
O amigo espiritual disse-me: – toda perturbação mental é ascendente de graves processos patológicos. Afligir a mente é alterar as funções do corpo.
Por isso, qualquer inquietação íntima chama-se desarmonia e as perturbações orgânicas chamam-se enfermidades.
Este irmão, tem atravessado inúmeras experiências em lutas passadas e aprendeu a dominar as coisas e as situações com invejável energia, porém, agora está aprendendo a dominar a si mesmo, a conquistar-se para a iluminação interior.
Dentro de sua individualidade dominadora, é compelido a destruir várias concepções que se lhe figuravam preciosas e sagradas.
Nesse empenho, os próprios ensinamentos do Cristo, que lhe serve de modelo à renovação, doem-lhe no íntimo como marteladas, em certas circunstâncias.
Este homem, no entanto, é sincero e deseja, de fato, reformar-se.
No círculo dos conflitos dessa natureza, vem lutando, dentro de si mesmo, para acomodar-se a certas imposições de origem humana que lhe são necessárias ao aprendizado espiritual, e, no esforço mental gigantesco, ele mesmo produziu pensamentos terríveis e destruidores, que segregaram matéria venenosa, imediatamente atraída para o seu ponto orgânico mais frágil, que é o fígado.
A permanência de matéria tóxica, indefinidamente, na intimidade deste órgão de importância vital, determinaria movimentos destruidores para os glóbulos vermelhos do sangue, complicaria as ações combinadas da digestão e perturbaria, de modo fatal, o metabolismo das proteínas.
ATENDENDO AO CASO
Anacleto aplicou-lhe um passe longitudinal sobre a cabeça, partindo do contato simples e descendo a mão, vagarosamente, até a região do fígado, repetindo-se a operação por alguns minutos. Surpreendido, observei que a nuvem, de escura, se fizera opaca, desfazendo-se, pouco a pouco, sob o influxo vigoroso do magnetizador em missão de auxílio, o fígado voltou à normalidade plena.
3º CASO - HOMEM QUE PERMANECE NO ERRO
Em seguida, um dos cooperadores do serviço aproximou-se do chefe da assistência magnética e notificou-lhe atencioso: - Estimaria receber a sua orientação num caso de “décima vez”.
Extremamente surpreendido, acompanhei Anacleto, à nossa frente estava um cavalheiro idoso, que o orientador examinou com atenção.
Por minha vez, observei-lhe o fígado e o baço, que acusavam enorme desequilíbrio.
Lastimável! – exclamou o chefe do auxílio, depois de longa perquirição. – Entretanto, apenas poderemos alivia-lo.
Agora, após dez vezes de socorro completo, é preciso deixá-lo entregue a si mesmo, até que adote nova resolução.
ATENDENDO AO CASO
E, dirigindo-se ao auxiliar, acentou: - Poderá oferecer-lhe melhoras, mas não deve alijar a carga de forças destruidoras que o nosso rebelde amigo acumulou para si mesmo. Nossa missão é de amparar os que erraram, e não de fortalecer os erros.
Percebendo-me o espanto, Anacleto explicou: - Nosso esforço é também educativo e não podemos desconsiderar a dor que instrui e ajuda a transformar o homem para o bem.
Há pessoas que procuram o sofrimento, a perturbação, o desequilíbrio, e é razoável que respondam pelas conseqüências de seus próprios atos.
Depois de ligeira pausa, Anacleto prosseguiu: - Este homem, não obstante simpatizar com as nossas atividades espiritualizantes, é portador dum temperamento menos simpático, por extremamente caprichoso.
Estima as rixas freqüentes, as discussões apaixonadas, o império de seus pontos de vista.
Não se acautela contra o ato de encolerizar-se e desperta incessantemente a cólera e a mágoa dos que lhe desfrutam a companhia.
Tornou-se, por isso mesmo, o centro de convergência de intensas vibrações destruidoras.
Veio ao nosso grupo em busca de melhoras, e, desde há muitas semanas, buscamos orientá-lo no serviço do amor cristão, chamando-lhe a consciência à prática de obrigações necessárias ao seu próprio bem-estar.
O infeliz, porém, não nos ouve.
Depois de partir os laços carnais, compreendemos, com mais clareza e intensidade, a função da dor no campo da justiça edificante.
PRECE
A prece é uma manifestação da alma em busca da Presença Divina ou de seus prepostos, ela deve ser despida de todo e qualquer formalismo. A prece é uma conversa com Deus ou seus prepostos.



A prece terá mais eficácia se partir de uma criatura de bons sentimentos.
Devemos nos despojar da ignorância e da perturbação que o mal engendra em nós, aos poucos iremos descobrindo que pela prece conseguiremos muita coisa em nosso benefício espiritual e dos nossos semelhantes e acionaremos com naturalidade o mecanismo do auxílio que ela nos propicia.
Por depender fundamentalmente da sinceridade e da elevação com que é feita devemos encarar a prece como manifestação espontânea e pura da alma, e não apenas como um repetir formal de termos alinhados convencionalmente, de peditório interminável ou de fórmula mágica para afastar o sofrimento e o problema que nos atinge.
MISSIONÁRIOS DA LUZ (Passes – Cap. 19)
(...) Ele, porém, está em prece regeneradora e facilitará nosso serviço de socorro, pela emissão de energias benéficas.
(...) Não fosse a oração, que lhe renova as forças reparadoras, e não fosse o socorro imediato de nossa esfera, poderia ser vítima de doenças mortais do corpo.
(...) A prece, porém, não representa para este coração materno tão-somente um refúgio. A par de consolações espontâneas ela recolhe forças magnéticas de substancial expressão que a sustentam no presente drama biológico.
(...) Não podemos abandonar nossos irmãos na carne, ao sabor das circunstâncias, principalmente quando procuram a cooperação preciosa através da prece.
(...) A oração, elevando o nível mental da criatura confiante e crente no Divino Poder, favorece o intercâmbio entre as duas esferas e facilita nossa tarefa de auxílio fraternal.
VÁRIOS TIPOS DE PRECE
A prece, sendo uma manifestação inteligente dos sentimentos da criatura humana, pode ser catalogada em vários tipos. Assim, há prece de pedido, de reconhecimento e de louvor.
PRECE DE PEDIDO
A prece de PEDIDO é a que a criatura faz solicitando alguma coisa. Pedir é recorrer ao Pai Todo-Poderoso em busca de luz, equilíbrio, forças, paciência, discernimento e coragem para lutar contra as forças do mal;
Quando o pedido for de interesse próprio ou intercessório, deve-se pedir, não o afastamento do sofrimento, do problema ou da dor, mas, sim, condições e forças para superá-los e com eles aprender alguma coisa.
Às vezes o remédio é o sofrimento, e só porque ele é amargo, não vamos deixar de nos beneficiar com ele. Porém, na maioria das vezes, pedimos o que não se deve.
PRECE DE RECONHECIMENTO
A prece de RECONHECIMENTO é feita com vistas a agradecermos as inúmeras bênçãos de que somos alvos e que nem sempre sabemos reconhecer.
A vida, a saúde, a família, os amigos, o trabalho, enfim, tudo o que nos cerca e deixamos de observar e lhe dar o devido valor, porque nos preocupamos somente com problemas materiais.

PRECE DE LOUVOR
A prece de LOUVOR é o reconhecimento e exaltação de Deus em tudo o que Ele criou. É enaltecer os desígnios de Deus sobre todas as coisas, aceitando-O como Ser Supremo.
É a nossa aceitação e alegria por tudo o que nos rodeia e que está tão bem feito, tão justo, tão equilibrado.
PRECE NAS REUNIÕES ESPÍRITAS
No início das reuniões espíritas se faz uma prece, com vistas a que o ambiente espiritual se torne favorável e as pessoas adquiram padrão vibratório que as torne em condições de receber os fluídos preparados pela espiritualidade.
Para isso temos que fazer com as vibrações de todos os presentes se elevem e se equalizem a um nível de muito equilíbrio. Os espíritos certamente fazem a parte deles e nós encarnados temos um papel muito importante nesta etapa.
Para isso, os presentes mais harmonizados, que tiveram um dia mais tranquilo, devem dividir suas energias salutares com os presentes que estejam com suas energias debilitadas, porque tiveram um dia conturbado e desgastante, dessa forma todos entram em sintonia com os espíritos elevados presentes para ajudar.
No término das reuniões espíritas se faz uma prece, com vistas a agradecer todas as bençãos recebidas durante a reunião..
IRRADIAÇÃO
No processo da irradiação, transmitimos aos outros pelo mecanismo da força mental, a carga de força vital que dispomos para doar. A irradiação se faz à distância, projetando o nosso pensamento e sentimentos em favor de alguém, movimentando as forças psíquicas através da vontade.
A pessoa que irradia deve cultivar, bons sentimentos, bons pensamentos e bons atos.
Isto vai lhe formando uma "atmosfera espiritual" positiva, criando uma tonalidade vibratória e uma quantidade de fluidos agradáveis e salutares que poderão ser dirigidos através da vontade para outras pessoas.

A pessoa que irradia deve focalizar mentalmente o paciente para quem quer fazer a irradiação e transmitir aquilo que deseja: paz, conforto, coragem, saúde, equilíbrio, paciência, etc.
O ENFERMO DEVE SE PREPARAR PARA RECEBER A CURA
Os espíritos terapeutas enfrentam sérias dificuldades no serviço de socorro aos pacientes cujos nomes estão inscritos nas listas dos Centros espíritas.
Além das dificuldades técnicas resultantes de certo desequilíbrio mental do ambiente onde eles atuam, outro impecilhos os aguardam em virtude do estado psíquico dos próprios doentes.
- Às vezes, o enfermo tem a mente saturada de fluidos sombrios devidos a conversações maledicentes de intrigas, calúnias e fofocas;
- outro, ei-lo em excitação nervosa devida a violenta discussão política ou desportiva; acolá, os espíritos terapeutas encontram o doente envolto na fumarada intoxicante do cigarro ou na bebericagem de um alcoólico.
- Outras vezes, os fluidos irradiados das sessões espíritas penetram nos lares enfermos, mas encontram o ambiente carregado de fluidos agressivos provenientes de discussões ocorridas entre os seus familiares.
É evidente que os desencarnados tem pouco êxito na sua tarefa abnegada de socorrer os enfermos quando estes vibram recalques de ódio, vingança, luxúria, cobiça ou quaisquer outros sentimentos negativos.
AS DISPOSIÇÕES MENTAIS E EMOCIONAIS
Todas as nossas ações e atitudes refletem as nossas disposições mentais e emocionais.
Quando escrevemos, não apenas alinhamos no papel nossas idéias, mas grafamos também nossas disposições íntimas.
Isso significa que podemos escrever com a luz dos sentimentos nobres ou com as tintas escuras do negativismo.
Isto quer dizer, que quando escrevermos os nomes de irmãos que necessitam de ajuda, o façamos movidos pelo desejo sincero de auxiliar e socorrer e não com o propósito apenas de se liberar do dever de ter que orar em benefício do semelhante.
ÁGUA FLUIDIFICADA
A água é um condutor fluídico por excelência, refletindo o teor e as vibrações normais daqueles que dela se servem, para todos os fins.
A própria ciência terrestre reconhece que a água é um excelente condutor de energias.
A sua simbologia está presente em quase todas as iniciações religiosas, com o significado de limpar o homem da capa de seus pecados e torná-lo um homem novo.
A água é um dos corpos mais simples e receptivos da Terra.
É como que a base pura, em que a medicação Espiritual pode ser impressa, através de recursos substanciais de assistência ao corpo e à alma, o processo é invisível aos olhos mortais, por isso, a confiança e a fé do paciente são partes essenciais nos efeitos do tratamento.
Hoje estamos mais libertos de atos ou gestos ritualísticos, conhecemos mais suas propriedades efetivas, muitas das quais já comprovadas em laboratórios.
muitas das quais já comprovadas em laboratórios.



Água fluidificada expande os átomos físicos, ocasionando a entrada de átomos espirituais ainda Água fluidificada expande os átomos físicos, ocasionando a entrada de átomos espirituais ainda desconhecidos e que servem para ajudar na nossa cura.
Essa noção racional é que permitiu a sua utilização nos Templos do Espiritismo como um meio condutor de energias de saúde e harmonia orgânica, após fluidificada.
QUAIS OS PROCEDIMENTOS PARA A FLUIDIFICAÇÃO DA ÁGUA
Recebendo, pois a água para fluidificar, bastará que o médium coloque-a na Câmara de Passes e os Espíritos magnetizadores, utilizando-se dos recursos dos próprios médiuns passistas, da natureza vegetal e fluídica, imprimir-lhe-ão combinações medicamentosas para o alívio e até a cura de enfermidades.
Mas havendo no grupo médium dotado do dom da cura, poderá também fluidificar a água, bastando direcionar suas mãos em direção ao vasilhame com água e projetar os próprios fluidos, ou melhor ainda, captar pela prece os fluidos espirituais e projetá-los sobre a vasilha.
Não é necessário abrir os recipientes com água para fluidificação. Para as energias radiantes, a matéria não representa obstáculo, podendo, portanto, os fluidos salutares manipulados pelos espíritos, atravessaram-na com facilidade.
Se os espíritos podem agir na intimidade de corpos físicos impregnando os seus órgãos com os fluidos, estabelecendo-lhes o equilíbrio orgânico, o que os impediria de agir em pequena garrafa lacrada por uma tampa de cortiça ou material plástico?
Quando for destinada a um enfermo determinado, justo é que dela só se sirva a pessoa indicada. Quando não houver um motivo especial, o seu uso poderá ser generalizado entre todos os familiares sem inconveniência alguma.
ATENDIMENTO FRATERNO
O Atendimento fraterno consiste em receber fraternalmente a pessoa que busca o Centro Espírita e proporcionar-lhe oportunidade de expor livremente, em caráter privativo, suas dificuldades.
O que denominamos atendimento fraterno é um verdadeiro gabinete de análises psico-espirituais em auxílio às criaturas.
Quase todos os que buscam orientação amiga, desejam antes de tudo, falar das suas lutas e aflições;
desabafar com alguém, por isso mesmo, muitas vezes, a tarefa do médium que está nesta atividade é ofertar atenção e carinho ouvindo os dramas humanos.
Muitas pessoas, narrando os seus conflitos existenciais, realizam uma catarse que, em psicanálise, significa: técnica psicoterápica através da exteriorização verbal e emocional dos conflitos.
Daí a sensação de bem estar que sentem após a entrevista. Não podemos esquecer que durante a
conversação a assistência espiritual é bastante efetiva.
O ORIENTADOR FRATERNO
O orientador Fraterno, após ouvir atentamente a pessoa que está sendo atendida, deverá orientar e transmitir os estímulos de que ela esteja precisando, podendo até, conforme o caso, oferecer-lhe ligeiras noções doutrinárias, para a compreensão dos seus problemas;
O Orientador Fraterno deve ser simples e objetivos no falar, "lembre-se do exemplo de Jesus, que com poucas palavras bem colocadas trazia ensinamentos profundos".
Não se deve em poucos minutos querer fazer um resumo de toda a Codificação Espírita, nem tampouco falar de tudo o que está contido no Evangelho.
O remédio se dá em doses, tomar todo o vidro de remédio de uma vez pode matar, pense nisto.
O EVANGELHO NO LAR
O QUE É O EVANGELHO NO LAR
É uma reunião fraterna dos componentes do Lar, sob o amparo de Jesus.
POR QUE FAZÊ-LO
- Para melhor compreender através do estudo os ensinamentos do Evangelho.
- Para se criar o hábito salutar de reuniões Evangélicas no Lar, com o objetivo de despertar e acentuar o sentimento de fraternidade que deve existir entre as criaturas.
- Para melhor proteção do Lar, através de bons pensamentos, ensejando a afluência dos Mensageiros do Bem.
- Para a obtenção do amparo necessário que possibilite a superação das dificuldades materiais e espirituais, em consonância com a recomendação "Orai e Vigiai" ensinada por Jesus.
- Para unir sempre mais os participantes do Lar, propiciando uma vivência mais amorosa.
COMO FAZÊ-LO
- Reunir os componentes do Lar uma vez por semana em dia e hora predeterminados.
- Iniciar com uma prece simples e espontânea.
- Ler um trecho de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" ou outra obra Cristã e comentar de forma acessível, sem polemizar.
- Fazer a prece de agradecimento e encerrar.
LEMBRETE
A reunião deverá ser conduzida por pessoa do Lar e incentivada a participação de todos.
Acautelar-se para não transformar a reunião em trabalho mediúnico;
Não suspender a reunião em virtude de visitas ou eventos adiáveis. Convidados podem participar do culto, e certamente foram encaminhados pela providência divina para participarem.
O passe é uma transfusão de energias que acontece num primeiro momento de aura para aura, sem necessidade até da imposição da mão. Então, porque usar as mãos? As mãos são utilizadas para direcionar o fluxo de energia que o médium passa para o paciente. Nas mãos e nos dedos existem muitos chacras (chacras é por onde entram e saem as energias). Durante o passe nós transmitimos dois tipos de energias: as energias magnéticas vitais provenientes do próprio médium e as energias espirituais provenientes dos espíritos que estão colaborando no passe. O Espiritismo tem adotado a técnica de impor a mão somente sobre a cabeça para que o fluxo de energia
que sai do médium energize os chacras superiores (coronário, frontal e laringeo). Os chacras superiores absorvem com intensidade maior as energias espirituais. Fazendo-se uma proporção hipotética circulam nos chacras superiores 90% de energia espiritual e 10% de energia vital.
Nos passes longitudinais, o médium partindo do alto da cabeça baixa a mão ao longo do corpo do paciente. Neste caso atinge-se os chacras intermediários (cardíaco, gástrico e esplenico) que absorvem com maior intensidade a energia vital. Fazendo-se uma proporção hipotética circulam nos chacras intermediários 90% de energia vital e 10% de energia espiritual. Aí fazemos uma outra pergunta: E quando o médium passista não estiver com energia vital adequada devido a desgastes com apêgo, orgulho, vaidade, vícios? Neste caso o médium irá sugar energia vital do paciente. Para aplicar o passe longitudinal o médium passista tem que estar muito bem equilibrado e espiritualizado. Por mais que se oriente os médiuns numa Casa Espírita é difícil encontrarmos médiuns bem equilibrado. É por isso que foi adotado no meio espírita o passe somente sobre a cabeça, porque a energia vinda do espíritos é sempre abundante e positiva. O que precisamos neste caso é elevar o nível vibratório da Casa Espírita para ter contato com bons espíritos, caso contrário poderemos energizar as pessoas com energia espiritual negativa proveniente de espíritos inferiores.
No chacra inferior (básico ou genésico) circulam energias físicas que praticamente não entram no processo do passe.
Em resumo, existe muita coisa a se estudar no passe para se entender o porque dessa técnica ou de outra qualquer, tudo tem um porque. Mas estudar é uma coisa e aplicar na Casa Espírita é outra. O importante é conseguir entender os porques. Tem muita gente usando passes longitudinais, por modismo, sem saber porque.






BENZIMENTOS
E
DEFUMAÇÕES
OBRAS ESPÍRITAS E O BENZIMENTO
GESTAÇÃO – SUBLIME INTERCÂMBIO - CAP. 21 - PÁG. 113
(Ricardo Di Bernardi)
(...) As informações anteriormente tidas como crendices ou folclóricas, hoje são seriamente estudadas e pesquisadas nas mais conceituadas universidades. As tradicionais “benzeduras” que fazem cair verrugas de muitos anos de existência ou os chamados “mal-olhados” que secam a violeta da vizinha já são admitidas comorealidades possíveis e comprováveis. Excetuam-se naturalmente os exageros e prestidigitações que sãotambém comuns nesta área (...)
SESSÕES PRÁTICAS E DOUTRINÁRIAS - CAP. 5 - PÁG. 111(Aurélio A. Valente)
(...) As “benzedeiras”, quando chamadas, operam do seguinte modo: Para curar o “quebranto” ou “mauolhado”,tomam um raminho verde, de preferência arruda, e com ele batem levemente na criança, fazendo movimentos em cruz; Para matar “erisipela” (Doença infecciosa aguda, febril, da pele e do tecido subcutâneo), empunham uma faca e com esta cortam no ar, em forma de cruz, um pouco acima da parte doente. Enquanto gesticulam, seus lábios não deixam de murmurar preces, a que dão subido valor. Várias vezes tivemos oportunidade de observar de perto os benéfícos efeitos da intervenção dessas incultas e boas mulheres. As preces são poderosos meios de evocação aos Espíritos bons que as assistem (...)
O CONSOLADOR –1ª PARTE CAP. 5 - PÁG. 68 – QUESTÃO 100 Espírito Emmanuel – Médium Francisco Cândido Xavier
100. A chamada “benzedura”, conhecida nos meios populares, será uma modalidade de passe?
- As chamadas “benzeduras”, tão comuns no ambiente popular, sempre que empregadas na caridade, são expressões humildes do passe regenerador, vulgarizado nas instituições espíritas de socorro e assistência.
Jesus nos deu a primeira lição nesse sentido, impondo as mãos divinas sobre os enfermos e sofredores, no que foi seguido pelos apóstolos do Cristianismo primitivo. “Toda boa dádiva e dom perfeito vem do alto” – dizia o apóstolo, na profundeza de suas explanações. A prática do bem pode assumir as fórmulas mais diversas. Sua essência, porém, é sempre a mesma diante do Senhor.
INTERNET
Site: www.millennium.fortunecity.com/newchurch/480/respostas.html
O que é a benzedura ?
A benzedura é uma forma de passe. De maneira intuitiva e quase rudimentar, as pessoas tidas como benzedeiras, praticam esta caridade, distribuindo para aqueles que as procuram, benefícios magnéticos.
O QUE É BENZEÇÃO (COLEÇÃO PRIMEIROS PASSOS: - 142) Elda Rizzo de Oliveira
Benzedeira também é chamada de rezadeira. O ministério da benzedeira ou do benzedor é rezar pelos males que afligem o povo, sobretudo os pobres. Não existe benzedeira sem que haja uma comunidade que busque suas orações. Mesmo assim recorrem a ela pessoas de todas as classes sociais.
O ESPIRITISMO É PARA SER ESTUDADO
O espiritismo não adota em suas reuniões: Paramentos ou quaisquer vestes especiais; bebidas alcoólicas; incenso, mirra, fumo ou quaisquer outras substâncias que produzam fumaça; altares, imagens e velas; danças ou procissões; atendimento a interesses materiais; pagamento de qualquer espécie; talismãs, amuletos, orações miraculosas, concessão de indulgências, distribuição de títulos nobiliárquicos; rituais e encenações extravagantes; promessas e despachos; riscar cruzes e pontos, praticar, enfim, a longa série de atos materiais oriundos de velhas e primitivas concepções religiosas.
Aos estudiosos mais conservadores, ao tratarmos destes assuntos, pode parecer que estamos falando de fantasias, mas a experiência demonstra que fatos de cura através das benzeduras são reais e perfeitamente explicáveis pela Doutrina Espírita.
Em todas as crendices populares existe um mecanismo da grande ciência do Espiritismo, que pode e deve ser pesquisado pelos observadores. Estudado não para trazer para o meio Espírita práticas primitivas, mas para entender-se como acontecem, não sob a forma de crendice e sim a luz da fé raciocinada. O Espiritismo é para ser estudado, discutido e aplicado, visando a reforma intima do seu adepto.
BENZIMENTOS
OS BENZIMENTOS REALMENTE PRODUZEM ALGUM EFEITO
Desde que confieis no poder do bem, é evidente que também deveis confiar no benzimento.
O benzedor é criatura que movimenta forças curadoras em favor de outrem. Descrer do benzimento é o mesmo que descrer da positividade do bem.
BENZER É LIMPAR OS FLUIDOS NOCIVOS
Existem um grande número de senhoras, chamadas benzedeiras, que aplicam passes em crianças recémnascidas que apresentam uma contaminação fluídica, popularmente chamada "quebranto" ou "mau olhado".
O problema da criança acontece quando pessoas adultas, que possuem uma atmosfera fluídica malsã, ficam com a criança no colo por muito tempo. A energia ruim que circunda a pessoa contamina a atmosfera espiritual da criança.
Isso deixa o bebê irritado, prejudica o seu sono e em certas situações pode causar desarranjos orgânicos. Depois de alguns benzimentos/passes, normalmente a criança afetada volta à sua normalidade. Nada se faz de mais, a não ser derramar o fluido salutar dos bons Espíritos sobre a atmosfera malsã da criança, limpando-a dos fluidos nocivos.
DE QUE MODO OS BENZIMENTOS AGEM NAS PESSOAS
O benzedor projeta sobre o paciente um feixe de forças em frequência vibratória dinamizada pela sua condição amorosa de curar.
Os benzedores enfeixam as energias que flutuam no ambiente onde eles atual e projetam sobre os
enfermos, cujo êxito de cura depende da maior ou menor receptividade psíquica dos mesmos.
O benzedor, age à maneira de um condensador vivo dos maus fluidos alheios, espécie de imã da sujeira do próximo. O benzedor atrai o "mal" para si ou para seus objetos/plantas.
Os objetos usados no benzimento funcionam como acumuladores ou captadores de fluidos ou forças etereofísicas.
Os benzedores afirmam que estão "limpando" o paciente, mas na verdade o que fizeram foi agir com o pensamento, atraindo o fluido nocivo para a sua própria atmosfera psíquica ou para os objetos usados/plantas no benzimento que funcionam como captadores destes fluidos.
É TUDO UMA QUESTÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE ONDAS RAIOS, VIBRAÇÕES E FREQUÊNCIAS ENERGÉTICAS
Embora a medicina oficial considerar superstição a terapêutica exótica do benzimento, em verdade, ele chicoteia e desintegra os fluidos virulentos que nutrem os vírus de certas infecções.
Como o eczema, o cobreiro entre outras infecções características da epiderme, que se alastram de forma eruptiva.
Sob o comando espiritual do benzedor, a aura etérica dos vegetais tóxicos e queimantes, como a pimenteirabrava, atua no fluido mórbido e ardente do eczema ou cobreiro, desintegrando-o pelos impactos magnéticos.
Extinto o terreno doentio fluídico, que alimentava os germens infecciosos, estes então desaparecem por falta de nutrição apropriada.
Após o benzimento, em que o galho da pimenteira-brava absorve o fluído doente do cobreiro ou eczema, o benzedor manda o paciente enterrá-lo, o qual, à semelhança de um “fio-terra”, descarrega no solo a carga tóxica ali aderida
A UTILIZAÇÃO DE GALHOS DE ARRUDA OU DE OUTRAS ERVAS OU OBJETOS AJUDAM NO BENZIMENTO ?
O dom ou a faculdade de curativa é inerente ao benzedor, a preferência por certo objeto, erva, ou certa gesticulação, serve-lhe de catalizador do próprio benzimento.
Varia de uma benzedeira para outra, quanto ao uso de certos ingredientes ou sistema de operar.
Encontramos a Preta Velha que benze utilizando-se de galhos de arruda, ou palha benta, esconjurando os fluidos ruins e fazendo cruzes sobre o paciente;
Também encontramos outras benzedeiras que usam de rosário, escapulário, talismã ou bolsinha de oração;
E ainda outras que benzem cruzando o copo do enfermo com objetos de aço para atrair e imantar os maus fluidos, cujos objetos depois ele os lança na água corrente.
Algumas benzedeiras cortam fios de linhas sobre pires de água para eliminar vermes das crianças; Outras benzem com fragmentos de carvão fazendo a diagnose do paciente conforme o comportamento dos mesmos no líquido; Nos terreiros, os pretos velhos sopram fumaça do cachimbo ou do charuto sobre os enfermos, para esconjurar as cargas malévolas; Há benzedeiras que “costuram” rasgaduras e consertam “mau jeito”, com resultados positivos, provando suas sensibilidades mediúnicas
AS DEFUMAÇÕES E AS ERVAS DE EFEITOS PSÍQUICOS
COMO ENTENDER OS EFEITOS ENERGÉTICOS DAS DEFUMAÇÕES
A defumação é um recurso benéfico solicitado ao vegetal, que além de elevar a vibração psíquica do ser, ainda purifica o ambiente fluídico.
A defumação sensibiliza a “psique”, torna o ambiente agradável e estabelece um contato eufórico com o mundo oculto.
Durante a queima de ervas odorantes desprendem-se energias ocultas, potencializadas no éter vegetal e que podem afastar os maus fluidos do ambiente onde atuam.
O perfume, ou a exalação natural das plantas, age na emotividade e na mente do ser, pois o seu odor associa idéias e reminiscências místicas, conforme acontecia nos templos iniciáticos do Egito, da Grécia, Índia e Caldéia.
A defumação composta de incenso, sândalo e mirra, tão tradicional e estimulante para o espírito, que produzia uma condição receptiva simultaneamente nos planos físico, astral e etéreo, ainda hoje é uma espécie de bálsamo espiritual.
AS DEFUMAÇÕES AFASTAM ESPÍRITOS OU É SÓ CRENDICE?
Há certos tipos de ervas cuja reação etérica é tão agressiva e incômoda, que torna o ambiente indesejável para certos espíritos, assim como os encarnados afastam-se dos lugares saturados de enxofre ou gases de mentana dos charcos.
O cheiro ou a exalação das ervas e flores que afetam o olfato dos encarnados também é um campo vibratório a influir fortemente nos desencarnados, cujas emanações fluídicas penetram diretamente no perispírito.
DEFUMAÇÕES COM A INTENÇÃO DE EXPULSAR ESPÍRITOS PODE TORNAR-SE UMA PRÁTICA MUITO PERIGOSA
A defumação feita com o propósito deliberado de “enxotar” espíritos malfeitores pode enraivecê-los de maneira imprudente.
Eles são vingativos e sensíveis no seu amor próprio, podendo afastar-se temporariamente devido as condições hostilizantes do ambiente onde frequentam, mas depois desforram-se de maneira mais perversa, semeando as piores consequências nos lares cuja defesa ainda é a deformação em vez da cristificação!
Quem defuma a sua casa rogando a Deus para afastar dali os espíritos maus, trevosos, diabólicos ou atrasados, apenas desafia o inimigo oculto para uma desforra mais violenta, apenas aguardarão a oportunidade favorável para então vingarem-se impiedosamente.
EFEITOS DA PÓLVORA
Quando a pólvora é queimada num ambiente “ionizado” pelos técnicos benfeitores do mundo espiritual, ela age por eletrização e pode até causar queimaduras violentas, em certas entidades ali presentes, cujo perispírito muito denso e sobrecarregado de éter físico ainda reage sob os impactos do mundo material.
Os espíritos subversivos ou obsessores fogem espavoridos do ambiente onde atuam, quando a queima de pólvora. A pólvora age de modo vigoroso e positivo no lençol etérico e magnético do mundo oculto, pois além de acicatar os espíritos malfeitores desobstrui as cortinas de miasmas estagnados em ambientes enfermiços.
As pessoas cujo perispírito sobrecarregado de fluidos perniciosos mostra-se com sinais de paralisia, são submetidas à “roda de fogo” ou queima de pólvora, cuja descarga de ação violenta no mundo etereoastral desintegra as escórias perispirituais e saneia a aura humana!
O mesmo salitre, que os entendidos usam para dissolver a aura enfermiça dos objetos enfeitiçados, depois de misturados ao enxofre e carvão, constitui a pólvora, que ao explodir compõe um ovo áurico no mundo etereoastral, muito semelhante ao cogumelo da bomba atômica, desagregando miasmas, bacilos, vibriões e microrganismos psíquicos atraídos pelo serviço de bruxaria e obsessão.
EFEITOS DA ARRUDA
A arruda não é uma planta miraculosa e capaz de livrar o homem das projeções fluídicas inferiores, mas ela presta-lhe o inestimável serviço de assinalar, no ambiente físico, a natureza boa ou má dos eflúvios ou fluidos do mundo oculto.
Quando a arruda se mostra vigorosa, ereta e viçosa na sua cor verde azulada, exsudando o seu odor forte e peculiar, ela desabrocha num ambiente impregnado de bons fluidos;
E quando emurchecida e amarelada, então sofre o bombardeio dos eflúvios e emanações perniciosas do ambiente! Afora qualquer crítica ou análise científica, a arruda é o mais eficiente e sensível barômetro vegetal.Há casas, zonas ou terrenos, onde ela não vinga de modo algum, pois sucumbe a ação muito agressiva dos maus fluídos do ambiente.
As benzedeiras ou pretos-velhos, então, preferem usar o galho de arruda molhados na água benta ou fluida, para benzer de quebranto ou acalmar os vermes excitados, porque ela assinala, realmente, os fluidos danosos.
Assim a medida que os galhos de arruda emurchecem, eles vão substituindo por outros até se mostrarem viçosos.
EFEITOS DA GUINÉ-PIPI
A guiné-pipi realiza, no plano do psiquismo vegetal, a mesma operação que é própria das plantas no campo físico, quando elas absorvem o anidrido carbônico e exsudam o oxigênio puro!
Enquanto a arruda funciona como um barômetro vegetal, a guiné-pipi é o transformador vegetal, pois absorve os fluidos deletéricos do meio ambiente e em troca exala eflúvios salutares.
EFEITOS DA AROEIRA-BRAVA (PAU DE BUGRE)
Uma das comprovações mais autênticas da influência psíquica dos vegetais no homem é o conhecido fenômeno da alergia provocado pela árvore “pau de bugre”, ou conhecida aroeira-brava do Sul do Brasil! Trata-se de uma irradiação magnética, deletérica e contagiosa, emanada da aura de éter físico virulento dessa árvore, e que, ao chocar-se com a contextura do perispírito de certas pessoas mais sensíveis, causa uma infecção alérgica.
O contágio, que é processado pela ação do éter físico exalado através desse vegetal e combinado com outras energias do próprio arvoredo, produz-se na forma de chicoteamento sobre o duplo atérico das criaturas resultando alterações enfermiças no metabolismo endócrino, linfático e sanguineo. Trata-se pois, de uma infecção proveniente de uma agressão essencialmente fluídica, e que depois repercute de modo violento e enfermiço no metabolismo fisiológico do ser.
Durante o contato do duplo etérico do homem com os fluidos do éter físico virulento exalados pelo “pau de bugre”, ele sofre violento choque que atinge o eletronismo vital do sangue humano.
Sob esse impacto fluídico contundente, o sangue do homem perturba-se no seu tom peculiar e altera-se na sua especialidade físico química, resultando a edematose ou inchação, que é provocada pela infiltração do soro albumínico nos tecidos orgânicos.
A plantação de arruda e guiné pipi em torno das residências terrenas jamais seria recurso eficiente e defensivo, caso os seus moradores continuem alimentando o ódio, o ciúme e a irascibilidade no ambiente doméstico.




EXISTEM OUTRAS PLANTAS QUE NOS ATINGEM VIOLENTAMENTE
Há plantas que atingem violentamente o perispírito dos encarnados, assim como o “pau de bugre”, que nos causado distúrbios alérgicos olfato;
outras, como a maconha, o ópio, o cáctus “peyot”, de onde se extrai a mescalina, produzem inúmeras sequências psíquicas, desde a alucinação pela queda vibratória no baixo astral, até a visão do duplo etérico das coisas e seres do mundo terreno! Há vegetais cuja aura são pestilentas, agressivas ou corrosivas, que põe em pânico alguns desencarnados de vibração inferior.
OS EFEITOS DO FUMO
O fumo fisicamente, é uma erva originária da América, portadora do alcalóide “nicotina tabacum”, que excita os nervos, provoca contrações dos intestinos e vasos sanguineos, aumentando a pressão arterial.
É uma planta narcótica; e o órgão mais prejudicado é o cérebro, devido a intoxicação do sistema neuroespinhal. Os pretos-velhos e pais-de-santo utilizam o fumo sem tragá-lo para que este não prejudique seu organismo.
O fumo, ou tabaco, condensa forte carga etérea e astralina, que ao ser libertada na queima ou defumação, pelos pretos-velhos e “pais-de-santo, liberta energias que atuam positivamente no mundo oculto.
Os pretos-velhos e pais-de-santo, tarimbados na velha magia africana, concentram o campo de forças do tabaco incinerado, e através do sopro praticam uma espécie de “ionização” rudimentar, mas proveitosa e capaz de acelerar a função catalisadora do perispírito.
Quando os pretos-velhos ou pais-de-santo se utilizam do fumo na sua terapêutica fluídica, eles dinamizam a sua energia oculta e lhe apuraram as qualidades etereoastrais, sob determinado processo de física transcendental. Certas substâncias ao serem queimadas produzem certas emanações etéricas, destruindo certos miasmas ou fluidos negativos. Com isto desfazem influências negativas ou obsessivas.
A UTILIZAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PARA AFASTAR ESPÍRITOS
Essas substâncias são canfôra (utilizado na India nos rituais); enxofre – produtos sulfurosos (utilizado na Grécia após as pessoas terem contato com o espírito dos mortos); Pólvora-preta (utilizado na Umbanda na realização das chamadas descargas)
Em consequência o duplo etérico dessas substâncias criam emanações fluídicas que queimam o perispírito de espírtos de baixa vibração, afastando-os de certa forma do ambiente, só que por ser desta forma eles se revoltam e quando retornam são mais agressivos. Passe, prece, evangelho no lar, higieniza fluidicamente a pessoa ou o ambiente. Só usa os artifícios acima quem não tem força para agir mentalmente.

4 comentários:

Ro disse...

gostaria muito de sua ajuda nesta materia. Muito obrigado

ZAKHALES disse...

PARA A MULHER SE APAIXONAR Para ela se apaixonar Oração forte para chamar alguém. SIMPATIA INFALÍVEL, PORÉM NÃO SE PODE VOLTAR ATRÁS... SALVE POMBA-GIRA MARIA PADILHA RAINHA DAS 7 ENCRUZILHADA! Atrás de mim você (ASSMA) vai vir de rastros, apaixonada e mansa. Salve Pomba Gira MARIA PADILHA RAINHA DAS 7 ENCRUZILHADAS! Dizendo assim: Conheço a tua força e o teu poder, te peço que me atenda o seguinte pedido: QUE (ASSMA) não coma e não durma, NÃO BEBA, NÃO TRABALHE, NÃO CONSIGA SE DIVERTIR, FIQUE TRISTE, DEPRIMIDA E SÓ PENSANDO EM mim . (ASSMA) se não estiver ao meu lado. Que seu corpo queime de desejo E TESÃO por mim (ASSMA) Que seu desejo por mim a deixe cega para outros homens. Que nenhum outro consiga fazer com que sinta prazer, somente eu terei esse poder. Que(ASSMA)deixe de vez todas os outros HOMENS QUE TIVER, E EM CASA TOME ODIO E RAIVA DELES E NÃO PROCURE MAIS NENHUM OUTRO QUE NÃO SEJA EU. Que ela (ASSMA) me procure a todo instante, HOJE, AGORA, desejando estar ao meu lado. E, que ME TENHA EM SEUS PENSAMENTOS O TEMPO TODO. AGORA, COM QUEM ESTIVER, ONDE ESTIVER ELA (ASSMA) IRÁ PARAR PORQUE O seu PENSAMENTO ESTÁ EM MIM,( ASSMA) IRÁ FICAR LOUCO DE DESEJO, TESÃO E FICARÁ MUITO EXCITADO AO PENSAR EM MIM, NESTE MOMENTO PEÇO A TI MINHA RAINHA MARIA PADILHA DAS 7 ENCRUZILHADAS QUE FAÇA (ASSMA) FICAR LOUCA DE PAIXÃO, DESEJO, TESÃO E MUITO EXCITADO POR MIM (ASSMA)E FICARA LOUCA DE VONTADE DE ESTAR COMIGO, ME ABRAÇAR, ME BEIJAR E FAZER AMOR LOUCAMENTE COMIGO. E Ao deitar, ao acordar, que tenha sonhos ERÓTICOS comigo fazendo assim com que SE APAIXONE CADA VEZ MAIS POR MIM. PEÇO AJUDA A TI MINHA RAINHA MARIA PADILHA DAS 7 ENCRUZILHADAS, QUE FAÇA (ASSMA) ME ACHAR LINDO, ME ACHAR GOSTOSO E ACHAR O MEU CORPO LINDO E FICAR LOUCO POR MIM E SENTIR CIUMES DE MIM. Que(ASSMA)sinta prazer somente por ouvir minha voz. Faça ele sentir por mim um desejo fora do normal como nunca sentiu por outro e nunca sentirá. PEÇO A TI MINHA RAINHA MARIA PADILHA DAS 7 ENCRUZILHADAS QUE ME TORNE UM HOMEM MUITO BOM DE CAMA, QUE EU SEJA FOGOSO, ATRAENTE, SEDUTOR, SEXY, ME DE O PODER DE CONQUISTAR A TODAS AS MULHERES QUE EU QUISER E QUE EU LEVE(ASSMA) LOUCURA QUANDO ESTIVERMOS FAZENDO AMOR, QUE ELA GOZE VÁRIAS VEZES E SÓ DE ENCOSTAR EM MIM ELA FIQUE LOUCA DE TANTO DESEJO E MUITO EXCITADO, QUE A GENTE FAÇA AMOR LOUCAMENTE COMO ELE NUNCA FEZ COM NINGUEM, QUE A GENTE SEMPRE CONSIGA # JUNTOS E SEJA UMA EXPLOSÃO DE TANTO AMOR, DESEJO E TESÃO. Agradeço por estar JUNTO DE TODOS OS OUTROS QUE DIVULGUEI trabalhando a meu favor. Vou divulgar SEU nome em troca deste pedido, DE TRAZER (ASSMA)MUITO APAIXONADA, CARINHOSA, FIEL, ROMANTICA E AMAVEL COMIGO. OBRIGADO MINHA RAINHA MARIA PADILHA DAS 7 ENCRUZILHADAS, CONFIO EM TEUS PODERES E QUERO QUE ESTEJA SEMPRE JUNTO DE MIM, ME TORNE UMA HOMEM MUITO LINDO, JOVEM, DELICADO, AMADO E QUERIDO POR TODOS, ABRA TODOS OS MEUS CAMINHOS AJUDE-ME A CONSEGUIR TUDO O QUE EU QUERO COM RAPIDEZ E URGÊNCIA. MUITO OBRIGADA POR TUDO SEJA MINHA GUARDIÃ TODO O MOMENTO. Copie e cole um pedido igual a este aqui em 7 altares diferentes e dentro de 7 dias seu pedido será atendida

ZAKHALES disse...

ORACAO FORTE PARA AFASTAR RIVAL P/ SEMPRE
Oracao para afastar rival pra sempre e trazer amor de volta
Minhas pombas giras façam sua gira e afastem (ASSMV)) da (rictrav).. EU ROGO PRAGA PRA QUE (ASSMV)) NUNCA MAIS FALE, PROCURE OU SAIA COM (rictrav), PELOS PODERES DE SATANAS TIRA (rictrav) DO MEU CAMINHO, EU ALMADICOOU A VIDA E ALMA DA (rictrav) e de qualquer mulher com quem ele esteja nesse momento; e se estiver , que chame meu nome.( MiRrO) Quero amarrar o espírito e o corpo de (ASSMV); pois o QUERO apaixonado por mim, quero que(ASSMV)) fique dependente do meu amor, quero vê-lo louco por mim, me desejando como se eu fosse a última pessoa da face da terra. Quero seu coração preso ao meu eternamente, que em nome da grande Rainha Maria Padilha floresça este sentimento dentro de (ASSMV)), deixando-o preso a mim 24 horas por dia. A pomba gira Rainha Maria Padilha há de trazer (ASSMV)), para mim, pois eu o desejo, e o quero depressa. Pelos poderes ocultos, que ele comece a me amar a partir deste exato instante e que ele pense só em mim, como se eu fosse a única pessoa do mundo. Que (ASSMV)) venha correndo para me encontrar cheio de desejos e tesão, que ele não tenha sossego enquanto não me procurar. Rainha Maria Padilha eu te imploro para que me traga (ASSMV) que ele me ame muito, venha manso e como eu desejo. Eu agradeço a grande Rainha Maria Padilha. E prometo sempre levar seu nome comigo. Oh! Poderosa Pomba Gira Sete Exus, quero de volta meu amado que me entristece com seu desprezo, que ele esqueça e deixe de uma vez por todas outros amores e os que queiram nos afastar. Que (ASSMV)) desanime, e esfrie para as outras pessoas. Que ASSMV)) se sinta sozinho, humilhado, envergonhado de tudo e por todos. Que Ele venha a mim, peça meu amor, meu perdão. oh! Linda Poderosa Pomba Gira Sete Exus, que nesse momento (ASSMV)) não queira mais estar com ninguém nem com seus amigos e muito menos com a (rictrav). Que fique só pensando em mim e pensando como vai fazer para ME FAZER FELIZ. Preciso Rainha, de um sinal, um telefonema, qualquer contato para eu saber se (ASSMV)) pensa em mim e que me quer, me tire dessa escuridão. Que (ASSMV)) fale comigo, que sinta saudades. Você é forte e poderosa, traga (ASSMV)) aos meus pés, para não mais sair, e que venha correndo, que largue tudo e a todos E que só pense em mim. Sr Exu Caveira que com seu grande e forte poder tire todas as barreiras que estão impedindo que (ASSMV)) ME AME LOUCAMENTE e deseje se unir a mim. Quero meu amado, me amando e me admirando sempre. Que ele não sinta mais desejos sexuais por nenhuma outra pessoa. Que seus desejos sejam só para mim,que seus pensamentos, gentilezas e bondades sejam só para mim. Que ele (ASSMV)) queira muito de verdade que eu, (MiRrO) ,FIQUE COM ele. Mas, quero que você, Exu Caveira, afaste de nós tudo e todos que nos separam. Que possamos ser felizes juntinhos. Que ele só sinta atração e desejo sexual por mim. Que ele me telefone,me mande mensagem, fale comigo de algum jeito, desde já e a todo instante. Que sinta saudades minhas, e que sofra longe de mim e não agüente mais sofrer. Quero que ele me ligue hoje e agora. Quero ouvir a voz dele, me pedindo para ficar comigo e voltando para mim para sempre, dizendo que me ama e que me quer. Obrigado.
Copie e cole um pedido igual a este aqui em 7 altares diferentes e dentro de 7 dias seu pedido será realizado. Oração Forte Para Amarrar Alguém. Simpatia infalível, porém não se pode voltar atrás. Confiante eu a aguardo minha amiga Maria Padilha, Poderosa Rainha das Sete Encruzilhadas, pois já me faltam portas onde bater!!!

Lola lu disse...

ORACAO FORTE PARA AFASTAR RIVAL P/ SEMPRE
Oracao para afastar rival pra sempre e trazer amor de volta
Minhas pombas giras façam sua gira e afastem (ALGL)) da (ALL).. EU ROGO PRAGA PRA QUE (ALGL)) NUNCA MAIS FALE, PROCURE OU SAIA COM (ALL), PELOS PODERES DE SATANAS TIRA (ALL) DO MEU CAMINHO, EU ALMADICOOU A VIDA E ALMA DA (ALL) e de qualquer mulher com quem ele esteja nesse momento; e se estiver , que chame meu nome.( VOM) Quero amarrar o espírito e o corpo de (ALGLV); pois o QUERO apaixonado por mim, quero que(ALGL)) fique dependente do meu amor, quero vê-lo louco por mim, me desejando como se eu fosse a última pessoa da face da terra. Quero seu coração preso ao meu eternamente, que em nome da grande Rainha Maria Padilha floresça este sentimento dentro de (ALGL)), deixando-o preso a mim 24 horas por dia. A pomba gira Rainha Maria Padilha há de trazer (ALGL)), para mim, pois eu o desejo, e o quero depressa. Pelos poderes ocultos, que ele comece a me amar a partir deste exato instante e que ele pense só em mim, como se eu fosse a única pessoa do mundo. Que (ALGL)) venha correndo para me encontrar cheio de desejos e tesão, que ele não tenha sossego enquanto não me procurar. Rainha Maria Padilha eu te imploro para que me traga (ALGL) que ele me ame muito, venha manso e como eu desejo. Eu agradeço a grande Rainha Maria Padilha. E prometo sempre levar seu nome comigo. Oh! Poderosa Pomba Gira Sete Exus, quero de volta meu amado que me entristece com seu desprezo, que ele esqueça e deixe de uma vez por todas outros amores e os que queiram nos afastar. Que (ALGL)) desanime, e esfrie para as outras pessoas. Que ALGLV)) se sinta sozinho, humilhado, envergonhado de tudo e por todos. Que Ele venha a mim, peça meu amor, meu perdão. oh! Linda Poderosa Pomba Gira Sete Exus, que nesse momento (ALGLV)) não queira mais estar com ninguém nem com seus amigos e muito menos com a (ALL). Que fique só pensando em mim e pensando como vai fazer para ME FAZER FELIZ. Preciso Rainha, de um sinal, um telefonema, qualquer contato para eu saber se (ALGL)) pensa em mim e que me quer, me tire dessa escuridão. Que (ALGL)) fale comigo, que sinta saudades. Você é forte e poderosa, traga (ALGL)) aos meus pés, para não mais sair, e que venha correndo, que largue tudo e a todos E que só pense em mim. Sr Exu Caveira que com seu grande e forte poder tire todas as barreiras que estão impedindo que (ALGL)) ME AME LOUCAMENTE e deseje se unir a mim. Quero meu amado, me amando e me admirando sempre. Que ele não sinta mais desejos sexuais por nenhuma outra pessoa. Que seus desejos sejam só para mim,que seus pensamentos, gentilezas e bondades sejam só para mim. Que ele (ALGL)) queira muito de verdade que eu, (VOM) ,FIQUE COM ele. Mas, quero que você, Exu Caveira, afaste de nós tudo e todos que nos separam. Que possamos ser felizes juntinhos. Que ele só sinta atração e desejo sexual por mim. Que ele me telefone,me mande mensagem, fale comigo de algum jeito, desde já e a todo instante. Que sinta saudades minhas, e que sofra longe de mim e não agüente mais sofrer. Quero que ele me ligue hoje e agora. Quero ouvir a voz dele, me pedindo para ficar comigo e voltando para mim para sempre, dizendo que me ama e que me quer. Obrigado.
Copie e cole um pedido igual a este aqui em 7 altares diferentes e dentro de 7 dias seu pedido será realizado. Oração Forte Para Amarrar Alguém. Simpatia infalível, porém não se pode voltar atrás. Confiante eu a aguardo minha amiga Maria Padilha, Poderosa Rainha das Sete Encruzilhadas, pois já me faltam portas onde bater!!